Movido por uma paixão: 11 anos de dedicação ao Brusque FC

Movidos por uma paixão e embalados pelo gosto ao futebol, é assim, que pessoas como o presidente do Brusque FC, Danilo Rezini, e sua diretoria trabalham. Vivendo uma fase história o Clube batalha muito fora das quatro linhas.

Atuando há 11 anos na presidência, Danilo, salientou as dificuldades durante esse período. “Já passamos alguns perrengues, temos um clube bastante limitado em questões administrativas, estruturais e principalmente em termos financeiros, mas com o pouco que temos, eu e a minha diretoria procuramos fazer o melhor”, afirmou ele.

O momento atual é definido como sendo o ápice para Danilo. “Durante esses anos fomos galgando alguns espaços e graças a Deus hoje estamos no ápice da história do Brusque de estar na série C e também em uma final da série D e percebemos que isso contagiou toda a torcida do time, mobilizou a cidade e porque não o Estado”, declarou Rezini.

Os ganhos são resultados de muito empenho, mas nem tudo são flores, ao longo da história as dificuldades surgiram e foi preciso reverter, mas Danilo salienta que a intenção nunca foi desistir. “Não pensei em desistir por desistir, absolutamente, faço tudo de coração, mas acredito que séria interessante outras pessoas assumirem, novas ideias, acho que isso séria saudável, quem sabe com o tempo isso aconteça”, frisou ele.

Ainda falando do sentimento, Rezini declarou ser um apaixonado pelo Brusque. “Já tivemos muitas conquistas, muitas vitórias, muitas satisfações, claro que algumas derrotas, algumas decepções, mas o futebol é desta maneira, por isso que ele é apaixonante. Eu sempre digo que no futebol do céu para o inferno é um risco, é muito rápido você ter o aplauso do torcedor e a vaia, mas de qualquer maneira tenho o Brusque com uma das paixões da minha vida, então nos trabalhamos porque gostamos mesmo”, salientou Danilo.

Acesso à série C

O presidente salientou a satisfação dessa conquista, mas conforme ele, isso também acarreta em novos desafios. “A ida para a série C aumenta a nossa responsabilidade, requer uma qualidade ainda maior. Acabando a série D, vamos ter reuniões com os nossos patrocinadores, para buscarmos uma receita ainda maior, para que possamos ter uma equipe competitiva”

Futebol virou negócio

Manter uma equipe competitiva exige muito. Danilo salientou que a parte financeira move o futebol atualmente. “O futebol hoje virou um grande negócio no mundo, hoje não temos mais aquele jogador que joga por amor pela camisa, que fica anos em um Clube só, a realidade é outra, os jogadores têm empresários, eles querem buscar o melhor para eles na questão financeira, e isso é normal”, afirmou.

Jogo de domingo – A final

A expectativa do presidente para o jogo contra o Manaus, domingo (18) é positiva. “Começamos uma competição nacional com 68 equipes, e restaram duas, e com certeza são as melhores, tivemos um jogo muito difícil, mas uma decisão é exatamente isso, então qualquer erro, qualquer acerto faz a diferença. Temos consciência das dificuldades que teremos em Manaus, mas pela qualidade do Brusque, temos todas as condições de fazer um bom jogo”, frisou Danilo.

O futuro

De acordo com Rezini as projeções para o futuro serão definidas após o término da competição na série D. “Temos algumas situações a ser resolvida com os atletas, a maioria são do Brusque, mas temos alguns, uns quatro ou cinco que estão vencendo o contrato, outros por empréstimo, e se o Clube tiver interesse, nós vamos conversar e tentar acertar, mas quando o Clube”, afirmou.

O presidente contou que com o destaque da equipe no cenário nacional ele já recebeu ligações de times da série A, B, questionando sobre alguns jogadores. “É uma valorização que acontece de forma automática devido ao bom desempenho da equipe, certamente perderemos algumas peças”, declarou ele.

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões