Presença de toxina compromete o cultivo e consumo de ostras em Porto Belo e Bombinhas

A confirmação da presença de toxina diarreica ocasionou a proibição do consumo de vieiras, mexilhões, ostras e berbigões que são cultivados nas cidades de Porto Belo e Bombinhas. Essa toxina ocasiona náuseas, dores abdominais além de vômitos e diarreia. A secretaria do Estado da Agricultura, Pesca e do Desenvolvimento Rural é que fez o alerta.

Essa medida foi necessária após exames laboratoriais acusarem a presença de ácido ocadaico nos cultivos de moluscos bivalves da região. Maricultores dos dois municípios foram avisados pela Cidasc sobre a proibição do consumo e comercialização. O alerta também foi emitido para a Vigilância Sanitária e extensionistas rurais da Epagri.

Na próxima segunda-feira (5), será realizada uma nova coleta de materiais pela Cidasc. As áreas serão liberadas após der negativa a presença de toxinas nos moluscos.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões