Presença de toxina compromete o cultivo e consumo de ostras em Porto Belo e Bombinhas

A confirmação da presença de toxina diarreica ocasionou a proibição do consumo de vieiras, mexilhões, ostras e berbigões que são cultivados nas cidades de Porto Belo e Bombinhas. Essa toxina ocasiona náuseas, dores abdominais além de vômitos e diarreia. A secretaria do Estado da Agricultura, Pesca e do Desenvolvimento Rural é que fez o alerta.

Essa medida foi necessária após exames laboratoriais acusarem a presença de ácido ocadaico nos cultivos de moluscos bivalves da região. Maricultores dos dois municípios foram avisados pela Cidasc sobre a proibição do consumo e comercialização. O alerta também foi emitido para a Vigilância Sanitária e extensionistas rurais da Epagri.

Na próxima segunda-feira (5), será realizada uma nova coleta de materiais pela Cidasc. As áreas serão liberadas após der negativa a presença de toxinas nos moluscos.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Camisa do Bruscão nas mãos do presidente da República

A camisa do Brusque Futebol Clube foi parar em Brasília. Mais precisamente nas mãos do presidente da República, Jair Bolsonaro. O fato aconteceu esta manhã, através de uma comitiva catarinense, liderada pela Associação Catarinense das Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), em encontro da mídia regional do Sul. O encontro é inédito, pois é a primeira vez que um presidente da República recebe...
Continuar lendo...

Galanteador que aplicou golpe em namorada sofre condenação por estelionato

Um homem de 52 anos foi condenado a quatro anos, dois meses e 12 dias de prisão, em regime inicialmente fechado, pela prática do crime de estelionato em Blumenau. A vítima foi uma mulher mais velha, de 59 anos, com quem ele passou a se relacionar após um encontro casual no terminal rodoviário daquela cidade. Após adquirir sua confiança, o réu passou a pedir dinheiro emprestado para, supostamente, visitar uma filha que morava na...
Continuar lendo...

Mulher é condenada a 27 anos em júri popular em Blumenau

Uma mulher acusada de participar da morte brutal de um homem de 23 anos em março de 2018 foi condenada à pena de 27 anos e três meses de reclusão, a ser cumprida inicialmente em regime fechado, em sessão do Tribunal do Júri nesta semana no Fórum Central de Blumenau.  Segundo denúncia do Ministério Público, a ré e outras oito pessoas (entre eles dois adolescentes), que fazem parte de uma organização...
Continuar lendo...