Campeões de robótica são recebidos com festa em Brusque

Muita festa, abraços e comemorações para receber os alunos do SESI SENAI de Brusque, que conquistaram nos Estados Unidos o troféu de segundo melhor design mecânico do robô, no torneio promovido pela FIRST LEGO League (FLL) em West Virginia, Estados Unidos. A competição reuniu 62 equipes de diversos países, de 12 a 14 de julho. As viagens espaciais foram o tema desta temporada da FLL. As equipes foram desafiadas a criar alternativas que ajudassem no bem-estar de astronautas e em pesquisas espaciais.

“A gente trouxe um troféu inédito, pois no Estado não tem esse troféu ainda, de design do robô internacional. Foi desafio chegar lá: teve regional, estadual e nacional. Foi muito significante pra gente, quando a gente foi chamado lá e saber que  está entre os melhores do no design do robô, por exemplo, na robótica. Um esforço e muito estudo de todos”, destacou o técnico da equipe, Claudio Lima Rhenns.

 Esta é a segunda vez que o Gustavo Osovski, de 13 anos de idade, participa da equipe, a Tecnorob Evolution. A experiência, única, segundo ele, será muito importante para o futuro. “ Para meu currículo é um aprendizado muito bom, (...) até porque eu aprendi bastante inglês, melhorei bastante, e a parte da competição é isso, da gente ter várias equipes e ir lá e se divertir”, contou.

E como o incentivo de casa é muito importante, os pais orgulhosos só tinham elogios para os filhos campeões.

“Desde a primeira competição regional que foi aqui em Rio do sul, a gente vem acompanhando todo o processo, o empenho e toda a logística envolvida em cima disso. O próprio SESI como um todo, dando todo o suporte pra eles e ter a oportunidade de ir pro mundial,  foi excelente pro grupo. Com isso se percebeu o trabalho serio que é representar o país num nível de tecnologia e saber que o nosso potencial é tão grande quanto de qualquer outro país. Estou muito orgulhoso”, conta Ari José Knihs, pai da aluna Maria Fernanda.

A estudante é uma das meninas que compõem a Tecnorob . Ela descreveu o que representou essa temporada para a equipe, a evolução pela qual passou com seus amigos Ana Carolina Riegert Uhlmann, Arthur Felipe Carminati, Arthur Gabriel Silveira Sophiati, Gustavo Osovskie  Nicolas Patrick Souza, além do mentor, o Thiago Day e, claro, com o técnico Claudio e a supervisora Louise Dorow Caetano.   

“Eu nunca imaginei que tinha toda essa importância e tudo o que eu aprendi nessa temporada e o que eu sempre falo pra todo mundo que me pergunta: FLL não é só aprender a montar um robô  e fazer um projeto, pesquisar alguma coisa. FLL é saber ser amigo, é saber trabalhar em equipe, é saber ter respeito pelos outros, E eu acho que isso é a base da vida, então a FLL deu um reforçada nos nossos valores, no que a gente tem que ser”, explicou.

Desta equipe, alguns não estarão mais juntos para a próxima temporada, pois já passaram da idade determinada. Outros quatro novos alunos passaram por uma seleção e já iniciaram os estudos para a próxima temporada das competições da FLL, que terá o primeiro desafio em outubro, em Jaraguá do Sul, quando acontece o torneio regional. 

A PESQUISA

Os alunos do SESI de Brusque , também desenvolveram um projeto de pesquisa que visa suprir a deficiência de vitamina D nos astronautas, um problema comum na vida espacial. Mesmo com a ingestão de duas doses diárias do nutriente, pesquisas espaciais mostram que astronautas voltam à Terra com cerca de 30% a menos do nível ideal. Isso ocorre, principalmente, pela falta da exposição aos raios ultravioletas do tipo B, transmitidos pelos raios solares. A deficiência da vitamina pode causar uma série de doenças como osteoporose, câncer, depressão e demência.

No torneio realizado neste final de semana, as outras duas equipes brasileiras, de escolas do SESI de Goiás e do Distrito Federal, conquistaram na competição o primeiro e segundo lugar geral, respectivamente.

Robótica

A robótica está inserida nos currículos escolares do SESI desde 2002, mas nos últimos anos ganhou relevância por conta dos avanços da indústria 4.0, mais tecnológica e automatizada. A robótica está provocando uma revolução nas salas de aulas. Ela vai além dos cálculos e desenvolvimento de sistemas autônomos, envolve criatividade, trabalho em equipe e vontade de aprender.

O campeonato da FIRST promove educação, ciência e tecnologia pelo mundo, e tem como parceiras empresas como a Qualcomm, Google, Bosch, Lego Education, Apple, Boeing, entre outras. Desde 2013 promove torneios de robótica da FIRST LEGO League (FLL) com jovens de 9 a 16 anos. Em 2019, passou a organizar mais uma categoria de robótica, a FIRST Tech Challenge (FTC).

Presente em Brusque, para um evento estadual de educação voltado aos professores do SESI SENAI, o diretor de educação das unidades na FIESC, destacou o trabalho que a federação realiza de incentivo a tecnologia, elogiou o desempenho da equipe e os resultados que a unidade de Brusque vem conquistando ao longo dos anos  em robótica, agradeceu o apoio dos pais nesse processo, que segundo ele “é de extrema importância para que os filhos alcancem seus objetivos” e, teceu um agradecimento especial ao técnico, ao professor Claudio:

“A todos os envolvidos, os meus parabéns e de toda a federação, mas em especial ao professor Claudio, pois essas crianças precisam de uma base, de um incentivo diário e saiba: time campeão, se faz com professor campeão”, frisou o diretor.    

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões