Brusque perde na Bahia por 1 a 0 e decidirá vaga no Augusto Bauer

O Brusque FC enfrentou a Juazeirense na tarde desta segunda-feira (15), no Estádio Adauto Moraes, em Juazeiro (BA) no primeiro confronto das quartas-de-final da Série D do Campeonato Brasileiro. Ainda sem Magrão e Edilson, o técnico Waguinho Dias manteve Ianson na zaga e improvisou Zé Matheus na lateral, buscando um resultado positivo no jogo de ida desta fase. 

O jogo começou equilibrado e apesar da alta temperatura, na casa dos 31ºC, o time catarinense mostrou a mesma determinação dos jogos anteriores e tentou encarar o adversário de igual para igual. A melhor oportunidade do Bruscão foi nos pés de Júnior Pirambú, aos 16’, mas não deu em nada. Aos 27’ o zagueiro Ianson teve boa oportunidade, de cabeça, mas a arbitragem marcou impedimento no lance.

Aos 24’, Cesinha em chute de fora da área, no canto esquerdo de Zé Carlos, aproveitou bem a primeira oportunidade de time baiano e conseguiu abrir o marcador, 1 a 0 Juazeirense. Foi um gol indefensável e de rara felicidade de quem bateu no ângulo. 

Nos minutos finais da primeira etapa o Brusque tentou criar, como aos 38’ com Thiago Alagoano e driblou a marcação e bateu em cima da defesa, na sobra Romarinho completou para fora, assustando o adversário. O Juazeirense respondeu e através de Cesinha teve a oportunidade de ampliar, mas Zé Carlos fez ótima defesa. 

Os minutos finais mostraram que o jogo estava aberto e já nos acréscimos o Brusque criou a oportunidade de empatar e foi pressão total do time comandado por Waguinho Dias. Foram dois escanteios seguidos que a defesa baiana salvou. O técnico brusquense, na saída de campo, disse que o único lance de perigo criado pelo adversário foi o gol do lateral que acertou um chute de longa distância, mas evidenciou as oportunidades criadas pelo Brusque, faltando apenas a finalização correta. 

SEGUNDO TEMPO

O Brusque voltou com o mesmo time que terminou a primeira etapa. Nos primeiros minutos o Brusque foi pra cima do adversário e criou três boas oportunidades. Antes dos 10’ do segundo tempo o Juazeirense tirou Nino Guerreiro e colocou Gustavo Balotelli. Já no Brusque o técnico Waguinho Dias tirou o jogador Fio, que pouco apareceu no jogo e colocou Thiago Henrique, tentando empatar a partida. 

Aos poucos o Juazeirense equilibrou o jogo e criou a chance de ampliar aos 16’ com Emílio, que cabeceou e por muito pouco a bola não entrou. Logo depois o Brusque tirou o atacante Júnior Pirambu e colocou Vinícius, buscando melhorar o ataque e tentando empatar a partida. As alterações fizeram o time catarinense melhorar. Com isso, o Juazeirense tirou Jeam e colocou Hugo, atacante. Ainda entrou Willian Kaefer para a saída de Rodrigo Ramos, queimando a terceira substituição no time da casa. 

No Brusque, saiu Jefferson Renan para a entrada de Leilson, a última alteração no Brusque. Em seu primeiro lance, Leilson sofreu falta rente a linha lateral da grande área, mas na cobrança a zaga do Juazeirense tirou, na sobra o próprio Leilson teve a chance de empatar, aos 41’, mas desperdiçou uma das melhores oportunidades do time brusquense. Logo em seguida Ianson também se apresentou no ataque e teve a chance de concluir, mas sem objetividade. Aos 44’ nova oportunidade do Brusque, mas a zaga salvou de novo aquele que seria o gol de empate. No último lance do jogo o Brusque teve marcado um impedimento de ataque e o jogo terminou com a vitória do Juazeirense por 1 a 0. 

O técnico Waguinho Dias disse ao final do jogo que o Brusque não decepcionou e tem  a partida da volta, em Brusque, onde o Estádio Augusto Bauer vai virar um “caldeirão” no próximo domingo (21) com a torcida fazendo sua parte. Falta só um jogo para o sonhado acesso do Brusque à Série C, mas para isso terá que vencer por dois ou mais gols de diferença. Uma vitória simples leva a decisão para as penalidades e empate ou derrota classifica o Juazeirense.  

FICHA TÉCNICA

Juazeirense 1 x 0 Brusque

Gol de Cesinha aos 24’ do 1º tempo

Juazeirense / Gleibson; Rodrigo Ramos (Willian Kaefer), Emílio, Emerson e Cesinha; Waguinho, Iran, Toni Galego; Ewerton, Nino Guerreiro (gustavo Balotelli) e Jeam (Hugo). Técnico: Cleverson Maurilio Silva. 

Brusque / Zé Carlos; Zé Matheus, Ianson, Cleitão e Airton; Ruan, Thiago Alagoano e Romário; Fio (Thiago Henrique), Júnior Pirambu (Vinícius) e Jefferson Renan. Técnico: Waguinho Dias.

Arbitragem - Ricardo Marques Ribeiro, auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva e Sidmar dos Santos Meurer.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões