Dono da Atlantis fala na Câmara de Vereadores e reacende a polêmica da água

A Câmara de Vereadores de Guabiruba esteve reunida na noite desta terça-feira (9) e a pedido dos vereadores recebeu como convidado o proprietário da Atlantis Saneamento, Anderson Sandrini Botega, para falar sobre o abastecimento de água no município, tendo em vista as críticas constantes que recebe por conta da qualidade e da quantidade da água fornecida à população.

A Atlantis está atuando em Guabiruba por força de um contrato provisório com a Prefeitura e venceu a licitação, mas como uma empresa que sequer participou do processo entrou na justiça, a licitação está suspensa e o serviço prestado de forma temporária, o que inviabiliza investimentos na rede na produção da água aos consumidores, que por sua vez reclamam da água turva que vem nas torneiras, quando não é a falta do produto.

Botega falou da necessidade de investimentos para melhorar o abastecimento e também a troca de tubulação, que está muito velha, mas que os investimentos só ocorrerão quando a empresa tiver a concessão definitiva, para justificar os altos valores necessários para a solução do problema. Ele citou o exemplo de Balneário Gaivota onde hoje a Atlantis é responsável pela água e esgoto, após a administração municipal ter aberta a exploração para a iniciativa privada. 

O vereador Jaime Nuss, que havia solicitado a convocação do proprietário da Atlantis, cobrou qualidade no fornecimento de água e responsabilizou a administração do prefeito Matias Kohler por ter retirado a Casan sem ter preparado o processo de substituição da empresa, tendo que agora investir dinheiro do município na manutenção do serviço de abastecimento de água, algo em torno de R$ 120 mil, que poderiam estar sendo usados na aquisição de medicamentos. 

Nuss disse que não está defendendo a Casan, mas o fato da administração atual ter se manifestado em 2013 com a intenção de romper o contrato com a Casan, cinco anos antes do término do contrato, isso fez com que a empresa deixasse de investir em Guabiruba, pois sabia que o contrato não seria renovado. O próprio proprietário da Atlantis citou que já em 2011, quando o prefeito era Orides Kormann, a Prefeitura já tinha entrado na justiça para romper o contrato, mostrando que o problema vem de longa data. 

Manifestaram-se a favor do prefeito Matias Kohler os vereadores Waldemiro Dalbosco, Paulo Ricardo Gums, Cristiano Kormann e Felipe Eilert dos Santos, todos eles concordando que a medida foi necessária e acreditando que após o processo licitatório ser destravado na justiça, a empresa poderá investir o recurso necessário para garantir o abastecimento de água com qualidade.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões