Dono da Atlantis fala na Câmara de Vereadores e reacende a polêmica da água

A Câmara de Vereadores de Guabiruba esteve reunida na noite desta terça-feira (9) e a pedido dos vereadores recebeu como convidado o proprietário da Atlantis Saneamento, Anderson Sandrini Botega, para falar sobre o abastecimento de água no município, tendo em vista as críticas constantes que recebe por conta da qualidade e da quantidade da água fornecida à população.

A Atlantis está atuando em Guabiruba por força de um contrato provisório com a Prefeitura e venceu a licitação, mas como uma empresa que sequer participou do processo entrou na justiça, a licitação está suspensa e o serviço prestado de forma temporária, o que inviabiliza investimentos na rede na produção da água aos consumidores, que por sua vez reclamam da água turva que vem nas torneiras, quando não é a falta do produto.

Botega falou da necessidade de investimentos para melhorar o abastecimento e também a troca de tubulação, que está muito velha, mas que os investimentos só ocorrerão quando a empresa tiver a concessão definitiva, para justificar os altos valores necessários para a solução do problema. Ele citou o exemplo de Balneário Gaivota onde hoje a Atlantis é responsável pela água e esgoto, após a administração municipal ter aberta a exploração para a iniciativa privada. 

O vereador Jaime Nuss, que havia solicitado a convocação do proprietário da Atlantis, cobrou qualidade no fornecimento de água e responsabilizou a administração do prefeito Matias Kohler por ter retirado a Casan sem ter preparado o processo de substituição da empresa, tendo que agora investir dinheiro do município na manutenção do serviço de abastecimento de água, algo em torno de R$ 120 mil, que poderiam estar sendo usados na aquisição de medicamentos. 

Nuss disse que não está defendendo a Casan, mas o fato da administração atual ter se manifestado em 2013 com a intenção de romper o contrato com a Casan, cinco anos antes do término do contrato, isso fez com que a empresa deixasse de investir em Guabiruba, pois sabia que o contrato não seria renovado. O próprio proprietário da Atlantis citou que já em 2011, quando o prefeito era Orides Kormann, a Prefeitura já tinha entrado na justiça para romper o contrato, mostrando que o problema vem de longa data. 

Manifestaram-se a favor do prefeito Matias Kohler os vereadores Waldemiro Dalbosco, Paulo Ricardo Gums, Cristiano Kormann e Felipe Eilert dos Santos, todos eles concordando que a medida foi necessária e acreditando que após o processo licitatório ser destravado na justiça, a empresa poderá investir o recurso necessário para garantir o abastecimento de água com qualidade.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Dois adolescentes se envolvem em acidente com moto de trilha em Guabiruba

Os Bombeiros atenderam na tarde de sábado (03) por volta das 14h39 na Rua Ana Catarina Carminati, bairro São Pedro em Guabiruba um acidente de trânsito entre duas motos de trilha que colidiram frontalmente. Em uma das motocicletas estava um menino, 15 anos, condutor, que conforme a guarnição estava agitado, consciência alterada, apresentando escoriações pelo corpo, contusão no crânio e face, sem suspeitas de fratura. Na...
Continuar lendo...

Polícia Civil prende casal suspeito de homicídio recente

A Polícia Civil, por intermédio da DIC - Divisão de Investigação Criminal de Brusque, prendeu, na manhã desta terça-feira (13), um homem de 37 anos de idade e sua companheira de 35 anos de idade, suspeitos de serem os autores do homicídio que vitimou João Batista Gonçalves (48 anos). O crime ocorreu na madrugada 29 de julho deste ano, na avenida Martin Luther, no centro de Brusque, quando a vítima foi agredida a...
Continuar lendo...

Motorista é flagrado pela quinta vez dirigindo sob efeito de álcool

Policiais rodoviários federais flagraram ontem, domingo, dia dos pais, por volta das 12h, um motorista (39 anos) que dirigia alcoolizado e com o direito de dirigir suspenso por embriaguez na BR 470, em Blumenau. Houve várias denúncias contra o condutor por direção perigosa. Os policiais rodoviários federais o abordaram e constataram que ele estava com o direito de dirigir suspenso por já ter sido flagrado dirigindo sob efeito de...
Continuar lendo...