Juíza decide que gato Mingau, disputado por casal separado, terá guarda compartilhada

O gato Mingau ficará 15 dias por mês com o tutor e os outros 15 com a tutora. A decisão é da juíza Marcia Krischke Matzenbacher, da Vara da Família da comarca de Itajaí. O casal adotou o gato, ainda filhote, enquanto estavam juntos e a disputa se deu logo após a separação. Conforme os autos, a mulher ficou com o animal e impediu as visitas e o contato do ex, o que gerou a ação judicial.

"As fotografias anexadas ao processo e a tatuagem na perna do autor comprovam o convívio duradouro e também ilustram o carinho devotado ao felino", escreveu a magistrada. Para ela, há indícios de que a ré, além de impedir as visitas do autor, proferiu ameaças de que daria ‘fim no Mingau' antes mesmo de entregá-lo.

Embora o feito tenha como objeto a regulamentação de guarda e visitas de um gato, para a qual não há lei especifica no ordenamento jurídico vigente, Matzenbacher decidiu de acordo com a analogia. Ou seja, utilizou o que diz a legislação sobre o conflito de guarda e visitas de filhos e aplicou neste caso específico.

A magistrada citou um julgamento recente do Superior Tribunal de Justiça, sob a relatoria do ministro Luís Felipe Salomão. "Deve ser afastada qualquer alegação de que a discussão envolvendo a entidade familiar e o seu animal de estimação é menor, ou se trata de mera futilidade a ocupar o tempo desta Corte. Ao contrário, é uma questão bastante delicada, examinada tanto pelo ângulo da afetividade em relação ao animal, como também pela necessidade de sua preservação como mandamento constitucional (art. 225, § 1, inciso VII). Para o ministro, "os animais de companhia são sencientes - dotados de sensibilidade, sentindo as mesmas dores e necessidades biopsicológicas dos animais racionais -, (e) também devem ter o seu bem-estar considerado".

Com isso, a magistrada deferiu o pedido de tutela provisória de urgência, anteriormente negado, para que seja garantida a convivência do autor com o felino. Mas fez uma ressalva: "se, no curso da lide, restar constatado que a real intenção do requerente com o ajuizamento desta lide tratou-se de uma forma forçada de manter algum tipo de contato com a ré, a tutela provisória de urgência será de imediato revogada". Por antever o clima de animosidade entre as partes, a juíza determinou que o Mingau seja entregue ao autor por pessoa de confiança da ré - e esta deverá devolver após o período de guarda. Cabe recurso. O caso tramita em segredo de justiça. 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Moto colide contra poste na 1º de Maio

Na madrugada deste sábado (27) por volta da 00h09, o Corpo de Bombeiros de Brusque atendeu chamado na rua 1º de Maio de um acidente de trânsito envolvendo motocicleta. No local do acidente uma moto com placa de Brusque havia colidido contra um poste. As vítimas do acidente eram o condutor da moto e o carona. O motociclista de 30 anos foi atendido por uma ambulância do Samu, e o carona de 23 anos atendido pelo Corpo de Bombeiros. Este apresentava...
Continuar lendo...

Apresentado o Projeto da Estação de Tratamento de Água (ETA) da Cristalina

Na tarde de segunda-feira (15) aconteceu, no Salão Nobre da Prefeitura de Brusque, a apresentação do Projeto Eletrônico 3D da Estação de Tratamento de Água (ETA) da Cristalina. O diretor-presidente da autarquia, Dejair Machado, e o engenheiro Sanitarista e Ambiental, Eduardo Fernandes, apresentaram os detalhes do projeto que está em fase final. Após a conclusão, será feita a licitação para depois iniciar...
Continuar lendo...

Fórum em Brusque abordou sobre judicialização da Saúde

No fim de semana que passou no Hotel Monthez de Brusque foi sediado o Fórum das Entidades Médicas, onde entre os principais temas abordados pelos profissionais que participaram do encontro foi a judicialização da saúde no Estado.  A organização do evento foi de responsabilidade do Coordenado pelo Conselho Regional de Medicina, e contou com a participação de representantes de entidades médicas, bem como juízes, e...
Continuar lendo...