Vereador sugere que Prefeitura retome convênio com sindicatos

O vereador Ivan Martins (PSD) cobrou que a Prefeitura retome o convênio que tinha com os sindicatos laborais de Brusque na área de saúde. Segundo ele, isso ajudaria na melhora ao atendimento da população e reduziria a demanda das unidades básicas de saúde.  

“Imaginem todo esse pessoal sendo atendido nos postos de saúde. Logicamente, a qualidade da prestação de serviço cai e cai muito”, disse ele. 

Para Martins, o convênio deve fazer com que os usuários e associados das entidades não precisem ir às UBS para trocar as receitas emitidas pelos médicos dos sindicatos. A demanda da cidade cresce ano após ano e a reativação do convênio é uma saída para evitar um colapso no serviço. 

“Tem que ter uma forma. E é obrigado a ter uma forma de resolver isso. Se queremos diminuir o fluxo de pessoas nos postos de saúde, temos que achar uma saída e essa é uma delas”, disse. 

Sebastião Lima (PSDB) disse que teve conversa com o secretário de Saúde, Humberto Fornari, e que o mesmo frisou não poder reativar o convênio por conta de impedimento legal, devido a processos licitatórios em andamento. 

Celso Emydio da Silva (DEM) disse que os sindicatos atendem a um público fechado e que isso não é permitido do ponto de vista legal. 

Alessandro Simas (PSD), líder do governo na Câmara, disse que foi feita uma proposta aos sindicatos para a volta do convênio, mas ela acabou não aceita. A proposta era de que as entidades contratassem um pneumologista como contrapartida. 

Vamos buscar uma solução, mas não no sentido de incorrer na ilegalidade”, pontuou na tribuna. 

OUTROS ASSUNTOS 

Jean Pirola (Progressista) falou sobre obras em andamento na cidade de Brusque. Elogiou a obra do asfalto do Limeira Alta, próximo à divisa com Camboriú.  

“A obra anda a todo vapor e está muito adiantada em relação àquilo que deveria ser feito”, pontuou ele na tribuna. 

O serviço de enroncamento feito no local está resolvendo problema que havia por anos no local e que causara a indignação dos moradores.  

Paulinho Sestrem (Patriotas) falou sobre a nova sede do CAPS, onde esteve visitando no dia 13 de junho. Na ocasião, segundo ele, o projeto em andamento no espaço é elogiável. Questionou, no entanto, o valor do aluguel que está sendo pago pelo uso do imóvel. O valor do aluguel está na casa de R$ 10 mil mensais.  

Ele apresentou imagens das condições da estrutura e disse que a servidora que deveria administrar o espaço está, na verdade, cuidando da obra de reforma do lugar. 

“Fui procurado por alguns pais que estão muito preocupados. E com muita razão. Não tem nenhuma separação daquelas crianças que ficam na quadra”, destacou.

Alessandro Simas (PSD), líder do governo, frisou que o governo já está tratando do assunto para resolver o problema.

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões