Integrantes de facção criminosa passam por audiência de instrução em Brusque

Na última segunda-feira, dia 24, houve a realização de audiência de instrução nos autos da ação penal, referente à Operação Realeza, deflagrada pela Polícia Civil durante o ano de 2018. A audiência foi comandada pelo Dr. Edemar Leopoldo Schlösser, Juiz Titular da Vara Criminal. Os trabalhos tiveram início às 12h30 e se encerraram por volta das 22h. 

Na oportunidade, foram ouvidas sete testemunhas de acusação e quatro testemunhas de defesa, além de interrogados os 25 acusados. A ação penal que tramita na Vara Criminal de Brusque apura a prática dos crimes de integrar organização criminosa (art. 2º da Lei n. 12.850/2013), tráfico de drogas e associação para o tráfico (arts. 33 e 35, da Lei n. 11.343/2006).

Ao todo, são 25 denunciados pelo Ministério Público, todos por integrar a organização criminosa Primeiro Grupo Catarinense (de dentro e fora dos presídios) e, parte deles, também pela prática dos delitos de tráfico de drogas e associação para o tráfico, inclusive envolvendo adolescentes.

Dos 25 denunciados, 24 encontram-se recolhidos em unidades prisionais de Santa Catarina, nas cidades de Brusque, Itajaí, Itapema, Tijucas e Blumenau. Apenas uma acusada encontra-se respondendo ao processo em liberdade.

Diante disso, o ato processual contou com um forte esquema de segurança por parte do Departamento de Administração Prisional (DEAP) e Polícia Militar, havendo a mobilização de dezenas de agentes, a fim de assegurar a segurança de todos os envolvidos. 

O processo aguarda o retorno de uma carta precatória, para após as partes requererem diligências finais ou apresentarem suas alegações finais. Após, os autos serão conclusos para prolação da sentença. 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões