"Às vezes, prefiro a àgua do Samae do que algumas que há no comércio"

O diretor-presidente do Samae, Dejair Machado, esteve na sessão desta terça-feira (25) da Câmara Municipal de Brusque. Na oportunidade, ele falou a respeito da situação do abastecimento de água na cidade e as frequentes reclamações da população sobre a falta do líquido, bem como a qualidade do  que chega às torneiras dos cidadãos. 

Machado destacou que a autarquia está adotando medidas para amenizar os problemas. Entre eles a construção de estação compacta no Bairro Limeira, outra no Bruschal, no Jardim Maluche e no Águas Claras. Neste último, será erguido um reservatório de um milhão de litros.

"Já fizemos algumas extensões de rede. No Volta Grande, por exemplo, que era muito problemático, está, praticamente, resolvido", disse, afirmando que o crescimento da cidade tem elevado a demanda e, consequentemente, os problemas de captação e distribuição.

A estação da Cristalina segue como foco do trabalho do Samae. O projeto está em fase de elaboração. A área será planejada com espaço para que, futuramente, após a conclusão da mesma, outra estrutura possa ser levantada para ampliar o abastecimento. 

"Tratar água é captação, reservação e distribuição. O Samae hoje tem uma equipe excelente de servidores.  Claro que temos problemas", destacou ele.

O vereador Marcos Deichmann (Patri) citou situação de falta de água no Bairro Limeira Baixa último final de semana e cobrou prazo para a instalação da estação. 

Outro questionamento foi sobre a grande quantidade de acordos judiciais que vem sendo feito pelo Samae com cidadãos por danos vias públicas. A própria Câmara tem aprovado diversos deles nos últimos tempos.

Ivan Martins (PSD) cobrou prazo de início e conclusão da obra da Cristalina. Aproveitou para questionar sobre a água que chega suja às torneiras dos cidadãos. 

Sebastião Lima (PSDB) disse que há uma preocupação sobre que outros municípios venham a poluir o rio e contaminar a água que chega à estação da Cristalina. A falta de legislação com mais rigor pode permitir tal situação na visão dele.

Paulinho Sestrem (Patri) também cobrou data de instalação no Bairro Limeira Baixa. Principalmente da Rua Rotary Clube, que tem sofrido com o problema.

Gerson Morelli (PSB) questionou se a qualidade da água que chega às torneiras é de boa qualidade de fato. 

Sobre os questionamentos, Machado disse que a situação de desabastecimento no Limeira deve perdurar até meados de 2020. 

Em relação aos acordos judiciais, Machado disse que havia muitos aguardando no Samae há anos para serem resolvidos. Eles são fruto de danos causados durante abertura de buracos para conserto da rede. Porém, segundo ele, nem todas as situações são de responsabilidade da autarquia.

"A grande maioria não é. Às vezes, a Prefeitura realiza a obra e rompe a tubulação. Aí o Samae vai lá e conserta", frisou.

Machado disse que "põe a mão no fogo" quanto à qualidade da água. O processo de tratamento segue à risca todas as exigências.

"Prefiro, em alguns casos, tomar a água do Samae do que algumas minerais que há por aí no comércio", disse ele.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões