Mãe e bombeira comunitária, uma vida de amor e dedicação

O exemplo de dois irmãos que eram bombeiros militares motivou Cinthia de Borba Cardoso, 43 anos, a tentar seguir a carreira, mas a estatura baixa para os padrões exigidos não permitiram a realização do sonho, mas não a impediu de ingressar no Corpo de Bombeiros, a princípio como bombeira comunitária e, posteriormente, como agente da Defesa Civil.

Há 15 anos ela se dedica a auxiliar os bombeiros militares, mesmo com a incumbência de ser mãe de um casal de filhos, Hendrick e Hendrielly, com 23 e 16 anos respectivamente. Cinthia sempre buscou conciliar o trabalho com o papel de mãe, usando a experiência de uma atividade para alavancar a outra.

Hoje ela está afastadas das ruas e trabalhando internamente, no quartel de Guabiruba, pois está grávida de 26 semanas, esperando o terceiro filho, Vítor Hugo, para a segunda quinzena de agosto. Cinthia conta que é gratificante atuar no Corpo de Bombeiros, por poder ajudar as pessoas. Ela prefere atuar no atendimento pré-hospitalar, mas já teve que auxiliar no combate à incêndios.

Cinthia falou aa Rádio Cidade e relatou dois momentos que foram marcantes em sua atividade. O primeiro deles, há cerca de cinco anos, quando sua guarnição foi deslocada à rua São Pedro para socorrer uma criança, com quatro anos de idade, na época, que saiu do quintal para pegar uma bola e foi atropelada por uma motocicleta.

Com múltiplas fraturas e hemorragia, ela lembra que a criança foi transportada para o Hospital de Azambuja e ela, num misto de socorrista e mãe, conversava com a criança que abria os olhos, respirando com dificuldade. Ela conta que sentiu a dor de uma mãe ao ver a situação e ficou muito emocionada, mas resistiu e não chorou. “A criança abria os olhos e olhava para mim”, disse a socorrista, como se revivesse aquele momento trágico.

O segundo momento marcante é lembrado com alegria. Ela disse que estavam transportando uma mulher em trabalho de parto, seguindo para o Hospital Azambuja, quando a criança decidiu não esperar e a guarnição precisou fazer o parto dentro do veículo mesmo. Ela conta que foi emocionante e mais uma vez misturou os sentimentos e aflorou a emoção de ser mãe.

Atualmente Cinthia é funcionária pública municipal em Guabiruba, atuando como agente da Defesa Civil há oito anos. Ela disse que não se arrepende de ter optado por ser bombeira comunitária, pois lhe motiva muito ajudar a comunidade e ajudar as pessoas.      

 
Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Veículo capota na Antônio Heil em trecho de sinalização precária

Uma mulher de 62 anos foi mais uma vítima das condições precárias de sinalização que estão colocadas ao longo da rodovia Antônio Heil (SC-486), que está em fase de duplicação. Como já era escuro, por volta das 20h15 desta sexta-feira (6), visibilidade da motorista era menor, e acabou capotaando o carro na região do bairro Limoeiro, próximo a Igreja. O acidente envolveu o VW/Gol, com placas de...
Continuar lendo...

Hang afirma que incêndio em estátua foi criminoso

A estátua da Liberdade da loja Havan em São Carlos, São Paulo, foi consumida por um incêndio na madrugada desta terça-feira (31). O fato foi registrado por volta de 5h da manhã. Mesmo com a ação rápida do Corpo de Bombeiros, a estrutura foi completamente destruída. A loja fica situada às margens da Rodovia Washington Luis, via estadual, sentido capital ao interior do estado. Restou apenas o esqueleto da...
Continuar lendo...

Carro e moto batem na beira rio durante a madrugada

Um motociclista ficou ferido após se envolver acidente de trânsito na Avenida Beira Rio, Bairro Santa Terezinha, em Brusque. O fato foi registrado na madrugada desta quarta-feira (22), por volta de 4h46. De acordo com o Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência, o homem, de 30 anos, pilotava a moto Honda Fan 125, placa de Brusque. Ele estava com dores e foi levado ao pronto socorro do hospital de Azambuja. A colisão foi contra um veículo um Ford Fiesta,...
Continuar lendo...