Dois pastores se envolvem em casos de polícia em evento religioso

O Congresso Internacional dos Gideões, que acontece em Camboriú, no litoral do estado, e teve a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, entrou na rota das ocorrências policiais em duas ocasiões neste final de semana. Em ambas o motivo foi agressão, uma delas, inclusive, por um pastor que já fora preletor do mesmo evento.

O primeiro caso ocorreu na noite de sexta-feira (3). Um homem foi preso após agredir a noiva em público. A ação foi flagrada por pessoas que estavam nas proximidades e que acionaram a Polícia Militar. Ele estava usando termo e teria sido identificado como congressista do evento dos Gideões.

O outro caso envolveu um pastor que já foi ministrante de palestra no mesmo. A informação é de que ele tomou um celular que estava nas mãos de um Youtuber. O rapaz fazia imagens no interior do espaço onde acontecia o encontro, quando foi empurrado e seu celular arrancado das mãos. O homem que fez isso atirou o aparelho por várias vezes ao chão, até o mesmo ficar completamente destruído.

Mais tarde, o rapaz, que acionou a PM também, descobriu que o autor da agressão era nada mais, nada mesmo, que um pastor, líder de um segmento religioso em Foz do Iguaçú (PR) e que já possui diversos boletins de ocorrência registrados contra si naquela cidade. Entre estes por dirigir embriagado e agredir policiais federais.

As informações foram veiculados e são do site Click Camboriú.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões