Novos cargos já têm definidos os valores salariais

Os vereadores de Brusque aprovaram na sessão desta terça-feira (26) os valores dos vencimentos salariais dos dois cargos criados na sessão anterior, quando foram extintos outros dois: assessor de imprensa e chefe de manutenção. De acordo com o projeto de resolução colocado em pauta e aprovado hoje, os cargos de assessor da presidência e assessor legislativo tecnológico vão receber, respectivamente, R$ 6.953,77 e R$ 4.346,10. 

Na prática, as duas funções foram apenas renomeadas. Palavras do presidente da casa, José Zancanaro (PSB). A extinção do cargo de assessor de imprensa se deu pelo fato de a Câmara dispor de duas profissionais que realizam essa tarefa e são efetivas. O cargo vinha sendo ocupado por várias pessoas ao longo dos anos que sequer tinham qualquer tipo de familiaridade ou capacitação para desempenhá-lo. 

Já o outro cargo terá a missão, segundo Zancanaro, de ser responsável pela parte técnica nas transmissões das sessões, além de cuidar do material em vídeo disponibilizado nas redes sociais. Atualmente, apenas um servidor faz essa tarefa. Não há qualquer menção sobre quem serão as pessoas que vão ocupar as duas funções. 

Projeto de reembolso de medicamentos é aprovado 

Os vereadores também aprovaram na sessão desta terça-feira o projeto de lei que estabelecia relação de medicamentos a serem reembolsados aos servidores públicos municipais lotados na Prefeitura e suas secretarias.  

Na semana passada, a proposta havia sido retirada da pauta após se verificar erro na redação. Ao invés de limitar o reembolso em 50% do valor do medicamento, o projeto, ao fim, fazia com que a Prefeitura fosse obrigada a ressarcir 100% dos valores. 

Proposta de redução no número de vereadores sai da pauta 

Ainda na sessão desta terça-feira, o projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município que reduz de 15 para 11 o número de vereadores foi adiado. Ele tramita na casa desde 2017, quando deu entrada a partir das assinaturas de cinco legisladores: Ivan Martins (PSD), Rogério dos Santos (PSD), Deivis da Silva (MDB), Joaquim Costa (MDB) e Nilson Pereira (PSB), este falecido no ano passado. 

A proposta já havia sido adiada outras vezes. Coube ao vereador Gerson Luzi Morelli, o Keka(PSB), pedir adiamento mais uma vez. Ele alegou que ainda possui algumas dúvidas sobre o tema. Com exceção do vereador Ivan Martins, todos os demais votaram a favor do adiamento.

Dúvidas ou Sugestões