Têxteis solicitam 10% de aumento salarial

Apesar do impasse e do percentual de reajuste referente ao ano passado ainda não ter sido definido, os empregados do setor têxtil de Brusque e região iniciaram a discussão sobre o valor deste ano. Em assembleias realizadas na última sexta-feira (22), na sede do Sintrafite (Sindicato dos Trabalhadores Têxteis), eles definiram encaminhar pedido de 10% de aumento nos salários.

A informação foi dada à Rádio Cidade esta manhã pelo presidente do Sintrafite, Anibal Boettger, durante entrevista ao programa Rádio Revista Cidade. O percentual é fruto de entendimento sobre a situação atual do setor, que está saindo da crise, afirma o sindicalista.

“Temos conversado com alguns empresários e eles dizem que não têm do que reclamar. Estão produzindo e o trabalhador está colaborando”, pontua ele.

Ele destaca que o cálculo de 10% leva em consideração o acumulado da inflação no período de um ano, que em março deve fechar em 4,77%, mais o chamado ganho real, que fica acima desse valor.

Boettger disse que, apesar de a negociação deste ano ter iniciado agora e a do ano passado estar emperrada, há empresas que se anteciparam e já concederam reajuste nos ganhos dos empregados. Ele citou o caso de uma em Brusque que, já no mês de fevereiro, aumentou os salários em 5%.

Sobre a negociação do ano passado, a decisão será tomada pela justiça. O impasse foi gerado porque a classe empresarial colocou como proposta reduzir o adicional noturno de 38%, pago há vários anos aos empregados que trabalham no período noturno, para valor abaixo dos 30% ou, até mesmo, no percentual que a lei manda, que é de apenas 20%. O sindicato não aceitou e não houve avanço.

Com isso, o caso foi parar nas mãos da justiça. Este ano, em janeiro, o Ministério Público emitiu parecer em favor dos trabalhadores, mas aguarda-se a decisão do juiz sobre o caso.

“Está lá no tribunal. O impasse ficou na questão do adicional noturno. Agora é aguardar a manifestação do sindicato patronal para que possamos começar a negociar a deste ano”, pontua Boettger.

A proposta de negociação entregue ao sindicato patronal (Sifitec) possui 48 cláusulas. Com a Reforma Trabalhista, que entrou em vigor em novembro de 2017, as Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) ganharam poder maior sobre a legislação federal.

Dúvidas ou Sugestões

Solenidade marca 50 anos de fundação da CDL Brusque

Solenidade realizada na noite desta segunda-feira no Centro Empresarial de Brusque celebrou os 50 anos da Câmara de Dirigentes Lojistas. Na ocasião, foram feitas homenagens a primeira diretoria da entidade, empossada em 1969, bem como a ex-presidentes e funcionários com mais tempo de casa. O primeiro presidente da historia, Antonio Cervi, lembrou o período da primeira reunião, realizada nas dependências da Sociedade Bandeirante. Na época, a...
Continuar lendo...

Mãe é agredida por filho usuário de drogas, no Águas Claras

A Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de lesão corporal leve, nesta segunda-feira (06), por volta das 17h110. O fato ocorreu no bairro Águas Claras. No local, os policiais  conversaram com a vítima que informou que seu filho é usuário de drogas e possui problemas psicológicos. O filho, durante a tarde, começou a quebrar os móveis dentro de casa e ameaçar a mãe e em certo momento ao...
Continuar lendo...

Prefeitura nega volta de convênio com sindicatos

Depois de quase dois anos de negociações com os sindicatos laborais, a Prefeitura de Brusque anunciou que não vai retomar o convênio que permitia às entidades realizar atendimento médico a seus associados, encaminhando-os para exames e procedimentos no Sistema Único de Saúde (SUS). O convênio existia desde a década de 1990 e permitia que milhares de pessoas não precisassem ir às Unidades Básicas de...
Continuar lendo...