"O horário é favorável à Prefeitura e desfavorável a quem precisa do atendimento"

Na sessão desta terça-feira (12) da Câmara Municipal de Brusque, o vereador Marcos Deichmann (Patriotas) voltou a cobrar que o governo reveja os horários de atendimento ao público. Desde que assumiu, o prefeito Jonas Paegle mantém o expediente apenas à tarde, o que já vinha sendo praticado pelos dois antecessores, Roberto Prudêncio e Bóca Cunha. 

Deichmann refutou o argumento de que a medida de horário reduzido serve para diminuir custos aos cofres do município. O período reduziu, mas a folha de pagamento segue a mesma de quando atuavam os servidores em horário diferente, frisou. 

“Gostaria que se esclarecesse, se a Prefeitura ou as secretarias que trabalham nesse período se há alguma previsão de se retornar o atendimento ao horário comercial. O horário é favorável à Prefeitura e desfavorável a quem precisa do atendimento”, destacou ele, mencionando que é preciso ajustar os diferentes horários de trabalho que possuem setores na Prefeitura. 

Os vereadores Sebastião Lima (PSDB) e Claudemir Duarte (PT) reforçaram as críticas ao horário atual de atendimento ao público. Para eles, a mudança e retorno ao expediente em tempo integral de oito horas é uma necessidade. 

Alessandro Simas (PSD), líder do governo na Câmara, afirmou que a Secretaria de Governo e o gabinete do prefeito já estudam a possibilidade de se mudar o horário de expediente para atendimento externo. 

O atual horário de atendimento ao público vigora desde 2015, quando o então prefeito interino Roberto Pedro Prudêncio assumiu a Prefeitura. Ele ficou no cargo por um ano e dois meses. O sucesso, Bóca Cunha (PP), manteve o expediente em meio período, o que foi seguido pelo atual governo quando eleito. De 2009 a 2015, no governo do ex-prefeito Paulo Eccel, o expediente da Prefeitura era em horário comercial, das 8h às 12h e das 13h às 17h30. 

Dúvidas ou Sugestões