Advogado do agressor diz que ele está arrependido

O advogado Leônidas Pereira, que defende o rapaz que agrediu a fotógrafa Doli Tomiozzo e sua filha na noite de sábado (9), em Brusque, falou à Rádio Cidade nesta terça-feira (11). Ele afirmou que seu cliente está arrependido do que fez e que vai responder pelos atos perante a justiça.

Porém, segundo o advogado, o jovem, que tem 19 anos de idade, acusa a vítima de tê-lo agredido com arranhões no rosto. Este teria sido o estopim para a ação, que foi, inclusive, filmada por Doli.

“Houve um início de discussão que não foi contida. Pelo que ele me disse, ela foi até o carro e andou arranhando o rosto dele. Daí, ele saiu do carro e entrou em luta corporal com essa senhora. A filha dela interveio e depois vieram outras pessoas que conseguiram separar a briga”, afirmou ele.

O advogado disse que o jovem estava embriagado e que vai procurar a família, em um primeiro momento, para se desculpar.

Pereira disse que o rapaz não tem antecedentes deste tipo de postura, que foi um ato isolado e que ele é “de boa família”. O advogado menciona que as redes sociais e a propagação do caso através deste meio poderia ter colocado a vida do jovem em risco.

“O que aconteceu foi que, a partir dessa propagação, tanto versões de um lado quanto do outro compareceram. Ele também foi bastante xingado, achincalhado e ameaçado. A rede social contribui para as pessoas, mas que, por outro lado, como o exemplo desse caso, pode acabar mal e até em desgraça”, pontua ele.

A idade e o consumo do álcool foram usados pelo advogado como motivadores da agressão. O próprio autor das agressões teria ficado indignado com a atitude que teve.

“Embora ela também tenha contribuído com essas agressões, mesmo assim ele quer se desculpar”, disse Leônidas Pereira.

A agressão ocorreu na noite de sábado e a vítima só fez o registro na Polícia Civil na segunda pela manhã. Porém, ainda o domingo, o autor das agressões e a família registraram um Boletim de Ocorrência na Delegacia. O advogado alega que isso foi para que ele se precavesse.

“Por conta já das ameaças que ele vinha recebendo através das redes sociais. Eles acharam prudente fazer um Boletim de Ocorrência. Até para se precaver, porque ele também teve lesões. Têm marcas de mordidas nas costas e arranhões que foram constatados no exame de corpo de delito que ele fez”, finaliza o advogado.

O caso das agressões ocorreu na noite de sábado, no Centro. O jovem aparece aos gritos xingando Doli e a filha com o termo "vagabunda". Em seguida, ele parte para cima delas e derruba a fotógrfa, que registrava a cena com o celular. Os comentários que cirularam pelas redes sociais afirmavam que ele teria utilizado golpe de jiu-jitsu, já que seria aluno de uma escola de artes marciais.

A Rádio Cidade recebeu contato de pessoas ligadas a uma destas escolas de artes marciais, questionando a ligação do rapaz com o estabelecimento, mesmo sem este ter sido mencionado na reportagem, e que a notícia era iverídica. Entretanto, durante o dia de ontem, o próprio estabelecimento divulgou nota em redes sociais confirmando que o aluno havia sido afastado.

Dúvidas ou Sugestões