"Eles mentem quando dizem que o sindicato não tem transparência"

A atual diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque (Sintimmmeb) não recorreu da decisão judicial que autorizou a chapa de oposição a disputar o pleito pelo comando da entidade. O presidente da entidade, Eduardo de Souza, disse em entrevista à Rádio Cidade esta manhã que está confiante que os trabalhadores reconheçam o bom trabalho desenvolvido pela atual gestão e que concorre ao pleito.

Souza contrapôs as declarações dadas aos concorrentes da chapa 023, Valdir Heil e Marcio da Silva, na última sexta-feira (8), também em entrevista à emissora. Na ocasião, eles disseram que a atual diretoria não tem facilitado o aceso a informações para que o grupo possa disputar a eleição.

“Eles faltam com a verdade quando dizem isso. Eles mentem quando dizem que o sindicato não tem transparência”, declarou o presidente do Sintimmmeb.

Eduardo de Souza frisou que todas as solicitações feitas pelo grupo opositor foram fornecidas. A começar pelo estatuto. Na entrevista de sexta-feira, Heil e Silva disseram que precisara pagar no cartório para dispor de cópia do documento. Souza disse que os membros da chapa 02 pediram outro estatuto e não o que trata das regras estabelecidas para a eleição.

“Eles solicitaram, sim, o estatuto. Porém, solicitaram o estatuto errado. Eles solicitaram o estatuto da Sintimmmeb Saúde. Tenho, aqui, documentos para comprovar isso”, destaca ele, afirmando que possui registrados todos os e-mails e contatos feitos pela chapa.

Souza contesta, ainda, a presença dos membro da chapa nas assembleias, o que seria requisito no estatuto para que possa um membro concorrer à eleição. O concadidato a presidente pela chapa 023, Marcio da Silva, é associado ao sindicato há muitos anos, mas teria participado pela primeira evz de uma na manhã de ontem, domingo (10), alega o Eduardo de Souza. Doa 23 membros inscritos na chapa, segundo ele, 18 não preenchem os requisitos.

“Eu, como presidente do Sintimmmeb, preciso respeitar o estatuto. O estatuto é o documento máximo de uma entidade sindical”, afirma, acusando os membros da chapa 02 de não apenas estarem ausentes das assembleias, mas nas vezes em que foram não assinaram a ata de presença, documento que comprova que o trabalhador esteve no ato.

Ele disse que orientou um dos membros da chapa 02 a entrar na justiça para assegurar o direito de disputar a eleição, pois ele, como presidente, não pode ir contra o que diz o estatuto.

“Deixar claro que esse estatuto não foi eu que fiz, não foi o Eduardo, nem o ex-presidente Vequi. O estatuto fala que tem regras para, justamente, vir um aventureiro e querer ser presidente. O que o Eduardo fez foi fazer valer o estatuto”, disse o secretário-geral do Sintimmmeb, Jorge Luiz Putsch, também presente na entrevista.

Outro ponto abordado pelos representantes do sindicato foi sobre a proposta da chapa opositora de reaver o contrato de plano de saúde com a Unimed, caso vençam a disputa. Souza frisou que isso é possível, sim, de ser feito, mas que tornará ao sindicato inviável financeiramente sua manutenção. Isso porque os valores cobrados pela cooperativa são bem maiores que o do atual plano, o Sintimmmeb Saúde.

A eleição do Sintimmmeb acontecerá nos dias 28 e 29 de março. A chapa 01 é formada por membros da atual diretoria, tendo Eduardo de Souza como candidato a presidente. Já a chapa 02 tem como candidato Marcio da Silva.

Dúvidas ou Sugestões