Entenda a situação envolvendo a Escola de Ensino Fundamental Padre Carlos Fusão

Com um quadro de servidores composto por apenas sete profissionais - entre diretora, zeladora e professores - a Escola de Ensino Fundamental Padre Carlos Fusão, situada no bairro Nova Itália, historicamente sofre com a desistência de profissionais. Dentre os principais motivos, está a localização do educandário, consideravelmente distante do perímetro urbano brusquense.

Conforme a Secretaria Municipal de Educação, atualmente, são 38 alunos matriculados no colégio, que dispõe de duas salas de aula. Recentemente, o setor de Recursos Humanos da Prefeitura de Brusque, após a realização de processo seletivo, constatou por mais uma vez a desistência de profissionais durante as escolhas de vagas. 

Conforme a diretora de Recursos Humanos da Prefeitura, Anelise Nagel, somente dois professores aceitaram trabalhar no local até o momento. Trata-se de uma educadora para os Anos Iniciais para cumprir 20 horas semanais e de um para a disciplina de Educação Física em 40 horas. As próximas contratações devem ser finalizadas nos próximos dias, através de um plano de ação preparado pelo RH, de maneira emergencial.

“Considerando o direito a escolha da vaga dos candidatos, é vedado impor o local de trabalho, tendo disponível outras vagas. Contávamos com uma professora efetiva, que entrou em licença para cuidar de familiar doente, o que é previsto em lei”, ressalta Nagel. “Na segunda-feira  (18), fizemos nova chamada, onde, dos quatro convocados, somente dois aceitaram a vaga. Eles começam nesta quinta (21). Precisamos contratar, mas dentro da legalidade. Já há um concurso público na licitação e continuaremos a convocação seguindo rigorosamente a classificação”.

Dúvidas ou Sugestões