Brusque deve fechar o semestre com déficit de R$ 1 milhão

A diretoria do Brusque FC reuniu a imprensa na tarde desta quinta-feira (7) para apresentar o balanço financeiro do clube que será encaminhado aos patrocinadores e traçar as metas de consolidação do clube. O presidente Danilo Rezini fez a explanação geral, avaliando a consolidação da marca “Brusque FC” nestes anos que está à frente do clube e pregou a necessidade de profissionalização de todos os departamentos. 

Em meio a euforia dos torcedores com o time que representa a cidade na elite do futebol catarinense e em competições de âmbito nacional, como a Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro, está uma dura realidade. O Brusque teve uma arrecadação em torno de R$ 175 mil em janeiro e uma despesa de praticamente o dobro deste valor no mesmo período.

Rezini pretende reunir os patrocinadores no máximo até o mês de março e colocar a necessidade de criar mecanismos para aumentar a receita, profissionalizando todos os setores do clube, inclusive a diretoria, que hoje não recebe salário, apenas ajudas de custo. Com representantes da torcida organizada presente, o presidente cogitou a possibilidade de empresários assumirem a diretoria, conduzindo o destino do Bruscão. 

A coletiva serviu também para abrir à imprensa a possibilidade de questionamentos, evitando assim os comentários “maldosos e levianos”, segundo os próprios diretores citaram, em referência a  alguns segmentos que sequer participaram da entrevista coletiva. O diretor financeiro do Brusque, Rogério Lana, citou que o clube deve fechar o primeiro semestre de 2019 com um déficit de R$ 1 milhão. 

Por outro lado, o clube já vem se organizando para buscar receitas que possam equilibrar as contas, com a organização do departamento jurídico e o marketing do clube, que nesta semana lançou o “Passe Livre”, com quatro opções para o torcedor adquirir um plano para acompanhar o time no decorrer do ano, assegurando uma renda fixa ao Brusque Futebol Clube. 

Dúvidas ou Sugestões