O dilema dos taxistas permissionários continua

O presidente do Sindicato dos Taxistas de Brusque, Modesto Bertoldi, informou que na segunda-feira (04) foi realizada uma assembleia com a categoria na Arena Multiuso para discutir sobre a lei que alterou no município a condição de atuação do taxista, que deixa de ser permissionário para ser um taxista autorizado da prefeitura municipal para continuar atuando na sua profissão. Esta mudança de acordo com Bertoldi desmotivou os taxistas, especialmente os mais antigos com mais de 30 anos de atuação em Brusque e que na época já haviam pagos seus tributos para trabalharem em seus pontos de localização.

Com a mudança da lei veio também mais um valor que na avaliação da categoria não é justa, algo em torno próximo dos R$ 5.000 para obter a autorização. Bertoldi também disse que com a mudança a lei em que eles estão regidos na atualidade a Lei 57/97 será revogada, ou seja, anulada. Tal fato fez com que dezenas de taxistas do município desistissem da profissão. Antes eram em torno de 70 taxistas, hoje, de acordo com o presidente do sindicato são apenas 49 taxistas que atuam em Brusque, houve a desistência de 21.

A polêmica é antiga e a situação dos taxistas de serem permissionários expirou há dez anos, no entanto a nova Lei da qual é formada por 49 artigos, dos quais, 28 deles não tem a concordância dos taxistas. O sindicalista disse lamentar que na reunião realizada na última segunda-feira o secretário da Setram de Brusque não compareceu à reunião sendo ele integrante da comissão que tem buscado por um entendimento entre o executivo e os taxistas.

Dúvidas ou Sugestões