Mulher que abrigava criminosos em Brusque é condenada

Integrante de uma quadrilha que praticava assaltos em Santa Catarina e no Paraná, uma mulher teve a condenação confirmada pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em matéria sob a relatoria da desembargadora Salete Silva Sommariva, pelos crimes roubo e associação criminosa, em Itajaí. Em apelação criminal interposta pela ré, que buscava absolvição por falta de provas, os desembargadores, por unanimidade, deram parcial provimento para retirar a qualificadora do roubo e para majorar a pena pelo concurso de pessoas. Assim, a pena da mulher foi ajustada para cinco anos, sete meses e seis dias de reclusão no regime semiaberto, sendo vedada a substituição de pena privativa de liberdade por restritiva de direito.

Em depoimento na delegacia, a mulher contou que estava com quatro meses de aluguel atrasado e, em função disso, o namorado disse que faria um assalto para quitar os débitos. Após o contato do namorado com outros homens, em um total de cinco, a quadrilha assaltou a um supermercado em agosto de 2005. Durante o crime, onde foi subtraído R$ 2 mil em espécie e mais R$ 50 mil em cheques, por coincidência, uma viatura da Polícia Militar chegou ao estabelecimento.  Os assaltantes pegaram uma vítima como refém e fugiram em uma perseguição policial. Após despistar a polícia, os criminosos abandonaram a refém e quando deixaram o veículo esqueceram um telefone celular.

A partir daí os investigadores da Polícia Civil começaram o monitoramento dos indivíduos e chegaram a mulher, que abrigava os criminosos em uma casa em Brusque, além de emprestar o automóvel. Ela teria recebido pelo auxílio R$ 2.125,50, proveniente do depósito de um dos cheques roubados. Em juízo, ela contou outra história, negou participação e disse que o dinheiro era o pagamento de programas. Para a relatora, não há como absolver a mulher por falta de provas. "As provas não deixam dúvidas acerca da participação de no mínimo três indivíduos no evento criminoso, e que a ré possuía pleno conhecimento disso, o que impede o afastamento da majorante do concurso de pessoas. Da mesma forma, o emprego de arma era previsível e, sendo a apelante pessoa que deu suporte na preparação do evento ilícito, era sabedora do emprego de arma.

Fonte Assessoria

Dúvidas ou Sugestões

Uno capota na SC-486 e depois é atingido por caminhonete

Na noite deste sábado (28), por volta das 20h10 ocorreu um acidente na rodovia Antônio Heil (SC-486), bairro Limoeiro, município de Itajaí, onde ocorreu o capotamento de um automóvel Fiat/Uno Mille do município de Campina Grande do Sul (PR) que depois ficou no leito da via e foi atingido por uma caminhonete MMC L200 Outdoor do município de Brusque. Para atender a ocorrência foram acionados o Corpo de Bombeiros de Brusque e a...
Continuar lendo...

Szafir se impressiona com a grandiosidade do espetáculo

A Prefeitura de Guabiruba foi uma das anfitriãs do ator Luciano Szafir na manhã de hoje. Ele está na cidade a convite da organização da peça Paixão e Morte de um Homen Livre para a qual executará o papel de Pôncio Pilatos. Szafir está hospedado em Brusque e recebeu a imprensa, patrocinadores e convidados para uma entrevista coletiva. Bem humorado, ele contou sobre sua longa experiência em encenações...
Continuar lendo...

Mulher é assaltada no Centro e reage à ação dos bandidos

Por volta das 20h46min de ontem, segunda-feira (29), a Polícia Militar foi acionada para atender um roubo, ocorrido no bairro Centro, em Brusque. No local, a guarnição conversou com a vítima, que informou que estava retornando do trabalho a pé, quando foi assaltada. Segundo ela, um veículo preto parou ao seu lado e dele saiu uma mulher, que pediu sua bolsa. A vítima reagiu, não entregando e as duas entraram em luta corporal....
Continuar lendo...