Coronel Otávio apresenta balanço das ações da PM

O ano de 2018 apresentou resultados positivos em alguns aspectos na sensação de segurança da população e alguns números preocupantes. O resultado foi apresentado pelo comandante do 18º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Otávio Manoel Ferreira Filho, em uma coletiva com a imprensa na tarde desta segunda-feira (8), no auditório do quartel.

Em termos positivos, o coronel Otávio destacou a redução no número de vítimas fatais em acidentes de trânsito. Em 2017 foram registradas 23 mortes no trânsito contra 16 em 2018, sendo que quatro mortes foram em veículos, oito em motocicletas e quatro de pedestres. Os roubos também sofreram uma queda sensível no ano passado (77) em comparação com os 90 casos registrados em 2017.

Por outro lado, o número de furtos aumentou. Em 2017 foram contabilizados 635 ocorrências em Brusque. Já em 2018 foram 663 registros. Os casos de violência doméstica também teve um aumento de 213 (2017) para 315 (2018). O comandante do 18º BPM acredita que não foi um aumento da violência, mas sim as vítimas estão mais encorajadas a registrar os casos. Este aumento de registros de violência doméstica aumentou em proporções parecidas em Santa Catarina, com 16.368 casos em 2017 contra 19.191 em 2018.

Vale ressaltar que dos seis homicídios registrados em 2018, três deles foram de bandidos que tentaram encarar a polícia e tombaram em confrontos. O índice de resolução, com dados de 2016, mostra que 90% dos casos foram elucidados pelo trabalho da Polícia Civil. Segundo o coronel Otávio, os índices nacionais são de 10% de resolução, contra 90% em Brusque, o que desencoraja os crimes de morte  na cidade.

Segundo o balanço da Polícia Militar, em 2018 foram realizadas 665 prisões e apreensões (menores) no ano passado, com 16 armas de fogo apreendidas. Outro dado importante foi no combate ao tráfico e posse de drogas. Em 2017 a PM flagrou 337 pessoas portando entorpecente, gerando termos circunstanciados, contra 461 registros de uso ou posse de drogas. Em relação ao tráfico de drogas, foram 51 casos em 2017 para 54 em 2018, ou seja, atacando mal pela raiz, o aumento nos casos de tráfico teve uma proporção menor de um ano para o outro.

Ainda segundo o comando do 18º BPM, as metas para 2019 incluem a redução em, no mínimo, 20% nas principais ocorrências que repercutem na sensação de segurança, sendo elas os casos de furtos, roubos e homicídios. Aumentar a fiscalização ao tráfico de drogas e ao consumo, consequentemente ao crime organizado. Atendimento de 100% dos alunos do 5º ano, que é o público alvo do Proerd. Aumentar e qualificar o aumento da Transitolândia e das visitas escolares.

Um número importante que deve ser colocado à população é a redução no efetivo no decorrer dos últimos anos na área do 18º BPM e a proporção do número de policiais na relação com o número da população. Em Brusque são 101 policiais militares para uma população estimada pelo IBGE de 131.703 habitantes, o que corresponde a um policial para cada 1.303 habitantes. Em Santa Catarina a proporção é de um policial para cada 690 habitantes.

Para o coronel Otávio, a disparidade entre o número de policiais por habitante no Estado no comparativo com Brusque se dá por conta dos bons índices de segurança registrados nos últimos anos. Ele disse que estas estatísticas penalizam a cidade de Brusque que deveria ter um policial para cada 1.000 habitantes para fazer um trabalho proporcional ao crescimento da população.

Dúvidas ou Sugestões