Mulheres são as maiores vítimas da tireoide

Problemas de tireoide têm se tornado bastante comuns. Ao mesmo tempo, isso vem gerando muitas dúvidas nas pessoas sobre o que é, como diagnosticar e quais tratamentos. Para responder a algumas destas questões, a Rádio Cidade entrevistou esta manhã a radiologista Hanae Rafaela Fontana.

Segundo ela, a Tireoide é uma glândula que está localizada na região interior e inferior do pescoço, sendo responsável pela regulação do funcionamento dos hormônios no organismo.

Quando ela produz muitos hormônios, causa o chamado hipertireoidismo. Já quando ocorre o contrário, a redução na produção de hormônios, ocorre o hipotireoidismo. Há, ainda, uma terceira situação, quando surgem nódulos (caroços). Para se detectar basta fazer exame de sangue ou através de ultrassom.

Problemas na Tireoide sempre estiveram ligados à obesidade. Segundo Hanae, quando se produz pouco hormônios o resultado é o ganho de peso, a pessoa fica mais sonolenta, pois o organizamos se torna mais preguiçoso, trabalhara menos.

“Procurar um especialista, fazer exame de sague, um clínico geral ou endocrinologista, é o caminho para regular e voltar ao normal”, pontua ela.

As mulheres são mais propícias para desenvolver o problema. As de meia idade, entre 35 a 50 anos, são as mais afetadas.

“Existe em crianças, também. O homem pode ter, mas é mais comum na mulher”, prossegue a aradiologista.

As duas principais causas são deficiência de iodo ou de ordem hereditária. Entre os sintoma do hipertireoidismo estão emagrecimento, perda de peso, fome excessiva, sudorese, taquicardia, diarreia, irritabilidade no sangue.

Já no hipotireoidismo, o corpo fica mas preguiçoso, a pessoa engorda, sente mais fadiga, pele seca, ocorre queda de cabelo, unhas fracas, entre outros.

 

Dúvidas ou Sugestões