Aprovada alteração no reembolso de medicamentos a servidores

Depois de diversos adiamentos, a Câmara de Vereadores finalmente votou o projeto de lei complementar 147, que trata da situação dos medicamentos reembolsados a servidores públicos municipais. O embate se estendeu porque o Sindicato dos Servidores Públicos (Sinseb) se colocou contrário à aprovação da proposta enviada pela Prefeitura e deu início a forte ação junto aos legisladores para que a medida fosse derrubada. O projeto foi aprovado, sob promessa da Prefeitura de um novo ser enviado à Câmara com ajustes na forma de concessão do benefício e que agrade aos servidores. 

De acordo com o vereador Alessandro Simas (PSD), líder do governo, somente esta semana houve duas reuniões entre membros do Executivo e do Sinseb para que se chegasse a um consenso. Na avaliação da Prefeitura, o município está gastando com o reembolso de valores de medicamentos que existem na lista básica, além de outros itens que não são de necessidade. Entre estes estão itens de uso estético e até sexual.

“Não votamos errado. Votamos certos. Da forma que veio, melhorou o projeto. Mas isso que está explícito aqui, agora, nós dizíamos para os funcionários que conversavam conosco, de que era preciso acabar com os abusos, pois o município não pode pagar esse tipo de procedimento”, disse o vereador Ivan Martins (PSD), em contraponto a André Rezini (PPS), o qual pediu desculpas por ter votado pela aprovação do projeto original na primeira discussão, ainda em outubro.

Dúvidas ou Sugestões