“Foi um desabafo, no momento, dentro de um grupo privado"

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque (Sintimmmeb), José Isaias Vechi, esteve na Rádio Cidade esta manhã e falou acerca dos desdobramentos da polêmica envolvendo um áudio no qual ele comenta ações de apoiadores do então presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) na cidade de Brusque. Tudo por conta de uma palestra em apoio ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) realizada nas dependências da entidade sindical em outubro.

Vechi disse que foi procurado por membros do Partido da Causa Operária (PCO) de Blumenau para que cedesse o auditório do sindicato à realização do evento, sem nenhuma ligação com o Sintimmmeb. Após comunicado e convite publicados no site da entidade e na página da mesma no Facebook, houve reação de eleitores e apoiadores de Bolsonaro contra o ato.

“Isso foi numa quarta-feira. Quando foi na quinta-feira, recebi ligação no sindicato em que o cara me chamava de inseto, que gente da minha raça deveria ser varrida do planeta, xingando minha família”, frisou ele.

O presidente do Sintimmeb afirma que o espaço é cedido a  qualquer órgão ou entidade que solicite, tal qual Prefeitura e partidos políticos que já utilizaram do mesmo.

As retaliações teriam partido para amaças físicas e de morte, o que motivaram registro de Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Segundo Vechi, o áudio em que utiliza palavras ofensiva foi publicado em um grupo de amigos, mas acabou seno vazado e tornou-se público, gerando toda a animosidade. Com a repercussão, ele pediu desculpas e reconheceu o exagero de sua parte.

“Foi um desabafo, no momento, dentro de um grupo privado. (...) Não tenho nada contra. Sou brasileiro, sou cidadão que preza apela democracia. Tem mais uma coisa: quero que esse governo dê certo. Eu tinha uma opinião e fui voto vencido. É a democracia”, disse ele.

Ainda na entrevista, Vechi confirmou o que já se ventilava há meses. No final deste ano, ele deixa a presidência do Sintimmmeb. A saída não tem relação com o ocorrido e já estava decidida muito antes. Em seu lugar assume o vice-presidente, Eduardo de Souza.

Dúvidas ou Sugestões