Trabalho infantil foi tema de evento em Guabiruba

Os profissionais da rede de atendimento de crianças e adolescente de Guabiruba passaram por uma capacitação sobre o trabalho infantil nesta terça-feira (25) com o professor André Viana Custódio, pós-doutor em Direito e autor de 21 livros sobre o tema. O encontro ocorreu na Câmara Municipal e faz parte das ações desenvolvidas pela Prefeitura de Guabiruba, por meio da Secretaria de Assistência Social, Habitação e Emprego e Escola de Gestão Pública (EGEM), e viabilizadas pelo Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI).

O objetivo foi instrumentalizar os profissionais de educação, saúde e assistência social para que estruturem as políticas necessárias para essa prevenção e erradicação.  

Custódio, que já atuou como consultor do Ministério de Desenvolvimento Social e de Combate à Fome (MDS) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostrou que o trabalho infantil é um fenômeno complexo e multifacetado e que entre as suas principais causas estão fatores econômicos e culturais. Segundo ele, todos nós somos herdeiros de trabalhadores infantis.

“Nossos avós trabalharam quando crianças, provavelmente nossos pais e é muito provável que muitos de nós. Em 1910 todas as crianças trabalhavam. Ao longo do século XX as famílias começaram a substituir o trabalho por outras atividades, principalmente educação. Chegamos ao final do século XX com uma taxa de 20% das crianças trabalhando”, pontuou, frisando que com o passar do tempo a sociedade foi evoluindo. 

“As pesquisas mostram que ao diminuir a renda, aumenta a incidência de trabalho infantil. Há 20 anos, 9,2 milhões de crianças trabalhavam. Hoje 2,4 milhões. Diminuímos 70%. Essa redução vem de forma ascendente com o aumento da escolaridade”, especificou Custódio, destacando que o trabalho diminui em quatro anos a escolaridade da criança e do adolescente.

Dúvidas ou Sugestões