Furtos e roubos poderão ser registrados pela internet na Polícia Civil

Na última segunda-feira (3), a Polícia Civil de Santa Catarina disponibilizou os itens “furto” e “roubo” para registros de ocorrências pela delegacia de polícia virtual. O boletim na internet tem a mesma validade que um registrado pessoalmente em delegacias do estado.

“Atualmente, hoje se consegue fazer da residência, ou de qualquer lugar que a pessoa tenha acesso à internet, o boletim de ocorrência de acidente de trânsito sem vítima, perda de documentos, perda de objetos, recuperação de documentos, ameaça, calúnia, injúria e difamação, furto e roubo, além de danos causados por fenômenos da natureza e denúncias anônimas”, afirma o delegado titular da comarca, Fernando de Faveri.

No entanto, ainda há muitas pessoas que – na hora do registro – trocam o furto pelo roubo. De acordo com o delegado, na hora do registro tem uma breve explicação dos crimes. O furto, por exemplo, ocorre quando alguém tira algo da vítima sem violência. Por outro lado, o roubo também retira algo da vítima, mas mediante à violência ou grave ameaça. “Pode estar armado, ou não, mas tem que constranger a vítima para retirar o objeto. Esse é o crime de roubo, mais grave e com uma pena maior”, esclarece.

Além dos crimes já citados, vale ressaltar que os crimes de roubo e furto de veículo ainda precisam ser registrados pessoalmente em uma delegacia. Isso porque somente um policial verdadeiramente poderá incluir a restrição à placa do referido veículo no sistema do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). “O boletim da internet não permite esse tipo de inserção”, compara.  

SISTEMA

Para ter acesso à delegacia virtual, basta apenas entrar no site da Polícia Civil e, em seguida, clicar na aba ao lado esquerdo da tela “delegacia eletrônica”, abaixo o interessado terá acesso aos registros possíveis. Assim que clicar em “acesse aqui”, irá abrir uma nova janela, onde os registros são feitos. (Conforme aqui)

De acordo com de Faveri, o sistema é autoexplicativo, ou seja, será acessível para qualquer tipo de pessoa que tenha acesso à internet. “Ele já tem todos os campos abertos e a pessoa vai preenchendo intuitivamente, não é um boletim de ocorrência difícil para ser preenchido”, comenta. “A política atual é ampliar os registros em casa, garantir a comodidade da vítima, evitando filas. Sendo que nada muda para fins de apuração criminal”, completa.

Conforme a Polícia Civil do estado, será ignorado automaticamente os registros realizados por menores de 18 anos, o local onde ocorreu o fato, a residência e o documento do comunicante forem de outros estados brasileiros.

Assim que realizado o boletim, a delegacia de polícia virtual registro o fato, efetua correções e homologa o caso. Nessa hora, um policial civil poderá inclusive contatar o cidadão para eventuais esclarecimentos antes da homologação. Depois de homologado, imediatamente é feito o encaminhamento do registro à delegacia de Polícia Civil onde o fato aconteceu e despachado por um delegado, nos mesmos moldes do registro pessoalmente. 

Dúvidas ou Sugestões