Emprego na construção civil cresce 31,50%

A taxa de ocupação na construção civil continua tendo relevante destaque no índice de novos empregos. De acordo com dados do Sine de Santa Catarina sobre Brusque, de janeiro a agosto deste ano 835 novas vagas foram abertas no setor, sendo que 586 trabalhadores pediram demissão. A variação positiva foi de 27,51%. Nos últimos 12 meses, foram abertas 1.062 novas vagas e ocorreram 776 desligamentos, resultando em um saldo de 286 trabalhadores que permaneceram na área.

Dentro do setor, a vaga que mais registrou novos trabalhadores, de janeiro a julho em 2008, foi a de servente de obra, com 338 novos operários, 203 desligamentos e, conseqüentemente, a permanência 135 trabalhadores. O salário base da classe ficou em R$ 502. A função de pedreiro registrou 120 novos trabalhadores, com 97 demissões. O salário médio dos pedreiros girou, nos últimos sete meses, em torno de R$ 644.

Na carreira de mestre-de-obras houve, no mesmo período, 70 admissões e 44 desligamentos, gerando um contingente positivo de 26 operários. O salário base da função esteve em R$ 873,08.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de Brusque e Região (Sintricomb), Renato José Lunguem, disse que a tendência é de que o setor continuará crescendo na oferta de novas vagas, uma vez que os empréstimos bancários a pessoas físicas e jurídicas têm facilitado a execução de projetos.

Lungem ressalta que a mão-de-obra precisa ser qualificada. "Como é uma profissão que se apreende na prática, muitos trabalhadores entram sem capacitação. Porém, o Sindicato tem ofertado vários cursos, inclusive para formação de mestres-de-obras", destacou o representante da classe trabalhadora.

 

 

Dúvidas ou Sugestões