Exoneração ocorreu para “enxugar máquina pública”

A exoneração da professora Geisa Carla Gripa Tarter, que era diretora da Escola de Ensino Fundamental Dr. Carlos Moritz, no Bairro Zantão, até a última sexta-feira (20), foi motivada pelo “enxugamento da máquina pública”, segundo a versão da secretária de Educação, Gleusa Luci Fischer. A demissão foi reclamada por pais e professores, durante a manhã desta segunda-feira (20).

Na visão deles, o problema é a continuidade dos projetos que acontecem na escola e também a exoneração sem motivo algum da diretora da escola. Mas, conforme Gleusa, a atitude foi tomada com critérios, pois não seria fácil exonerar alguém na pasta.

RELEMBRE O CASO: Exoneração de diretora da EEF Dr. Carlos Moritz causa manifesto

“Nós não podemos dispensar um profissional de sala de aula, então nós optamos pela dispensa de profissionais que nós não teríamos a obrigatoriedade de estar na escola. Claro que o diretor é uma peça fundamental na escola, mas começamos por aqueles que não são efetivos, até como uma forma de valorização do quadro de efetivo”, explica.

Ela ainda diz que para a realização das eleições de diretores das escolas municipais o processo já está em trâmite. “Definir os critérios. Terá um momento de formação para os interessados e aí, sim, nós poderemos concretizar”, conta. 

Dúvidas ou Sugestões