Cresce saques do Seguro Desemprego

De acordo com dados do Sistema Nacional de Empregos (Sine), de janeiro a junho deste ano foram autorizados 5.266 pedidos para sacar o Seguro Desemprego em Brusque. O rendimento médio, entre homens e mulheres, é de R$ 571,31. A situação se torna preocupante quando se sabe que muitos dos benefícios concedidos não refletem a realidade dos trabalhadores. Para a coordenadora do Sine local, Umebelina Verner Gamba, o número é extremamente alto, se comparado com outros anos.

 

Não são poucos os casos em que trabalhadores negociam com os patrões uma demissão simulada, visando baixar os custos nas folhas de pagamento. O trabalhador entra com o pedido de Seguro Desemprego e volta a prestar serviço sem registro em carteira, faturando assim dois salários. Isso descaracteriza o objetivo fundamental do programa, que foi criado para auxiliar por cinco meses aos trabalhadores sem emprego.

 

A média mensal de requisições para o saque do Seguro Desemprego, em Brusque, é de 700 a 800 casos. Há meses que variam em função das empresas admitirem e demitirem funcionários contratados em caráter temporário. Umbelina afirma que a maioria dos que se apresentam para receber o Seguro têm mais de dois anos de permanência no antigo emprego.

 

O aumento de casos relacionados ao saque do beneficio tem gerado filas diárias no posto do Sine em Brusque. E como as senhas são poucas, acaba que muitos trabalhadores são obrigados a voltar à agência na madrugada seguinte. Há uma sugestão para que o Sine estude a possibilidade de fornecer uma senha seqüencial, onde os interessados não precisem madrugar em busca da garantia de atendimento.

 

O Seguro Desemprego foi instituído pela Lei 7.998, em 11 de janeiro de 1990. Ele regulamenta a concessão do beneficio a trabalhadores desempregados que foram dispensados sem justa causa.

 

 

Dúvidas ou Sugestões