Rodrigo Gularte é fuzilado na Indonésia

Preso desde 2004 em Jacarta, capital da Indonésia, por transportar 6 quilos de cocaína em pranchas de surfe e condenado à pena de morte em 2005, o brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, foi fuzilado hoje (28), às 14h25, no horário de Brasília.

A informação foi confirmada à Agência Brasil pelo encarregado de Negócios da Embaixada do Brasil em Jacarta, Leonaro Carvalho Monteiro. Segundo ele, antes do fuzilamento, Gularte recebeu a visita de um padre que também era seu guia espiritual. De acordo com Monteiro, após o cumprimento da sentença, os corpos começaram a ser preparados e em cerca de duas horas serão levados para Jacarta.

Além de Gularte, sete estrangeiros (da Austrália, Filipinas, Nigéria e de Gana) e um indonésio estavam na lista de executados de hoje. Todos foram fuzilados, exceto a filipina Mary Jane Veloso, única mulher no grupo. A retirada dela da lista de execuções de hoje ocorreu após uma mulher que supostamente a recrutou para levar drogas à Indonésia ter se entregado às autoridades filipinas.

A execução por fuzilamento ocorreu na prisão de Nusakambangan, em Cilacap, a cerca de 400 quilômetros de Jacarta. Mais cedo, Leonardo Carvalho Monteiro, que está no local, informara que não havia nada mais a fazer.

Segundo Carvalho, uma prima de Rodrigo, Angelita Mauxfekdt, que acompanhou os últimos meses de Gularte na prisão, foi informada do cumprimento da pena e esteve com o brasileiro por volta das 14h (4h no horário de Brasília).

Antes da execução, Carvalho informou que estaria ao lado de Angelita, em uma sala próxima do local da execução. Pela lei da Indonésia, após o cumprimento da pena, é feito o reconhecimento do corpo pelos familiares e representantes da embaixada de seu país, no caso de estrangeiros.

Os condenados receberam a notificação da execução no sábado (25). De acordo com a lei local, o aviso deve ocorrer pelo menos 72 horas antes do cumprimento da pena.

Em janeiro, a Indonésia executou outro brasileiro, Marco Acher, também condenado por tráfico de drogas. O fuzilamento de Archer gerou uma crise diplomática entre Brasil e Indonésia. O embaixador brasileiro no país, convocado pela presidenta Dilma à época, num gesto de desagravo do governo brasileiro, ainda não reornou à Indonésia.

O país asiático, que retomou as execuções em 2013, após cinco anos de moratória, tem 133 prisioneiros no corredor da morte, dos quais 57 condenados por tráfico de drogas, dois por terrorismo e 74 por outros crimes.

Dúvidas ou Sugestões

Turistas registram mancha escura na praia de Balneário Camboriú

Algas e briozoários voltaram a sujar a praia de Balneário Camboriú no Portal Norte na manhã deste sábado (20). O fato foi registrado por turistas através de redes sociais onde aparece a mancha negra, próximo ao canal do Marambaia. Através de uma parceria com a Univali, a prefeitura de Balneário Camboriú vai realizar um estudo para entender porque as algas causam também um mau cheiro. Três caminhões...
Continuar lendo...

Nova Trento recebe programação dos 150 anos da Colônia Príncipe Dom Pedro

Nos dias 09, 10 e 11 de março, o município de Nova Trento recebe as comemorações dos 150 anos da Colônia Imperial Príncipe Dom Pedro. No dia 09, por volta das 15h35, o príncipe imperial do Brasil Dom Bertrand de Orleans e Bragança visita o Hotel do Santuário, de propriedade da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, no bairro Vígolo. Já no período da noite, Dom...
Continuar lendo...

Grávida antes de morrer pode ter sido agredida pelo marido

A morte de uma mulher grávida na cidade de Lages, no Planalto Serrano catarinense, chamou a atenção da Polícia Civil, que suspeita de que a mulher de 40 anos de idade, antes de ir a óbito tenha sido agredida violentamente pelo seu marido. De acordo com depoimentos dos funcionários do Hospital Tereza Ramos, em Lages, onde a vítima estava internada desde o último dia 3 de março, a mulher chegou aquela unidade hospital com marcas de...
Continuar lendo...