Ex-prefeito na pauta das discussões

A primeira sessão ordinária de 2015 da Câmara Municipal de Guabiruba foi marcada por discussões acerca de denúncias nas quais o ex-prefeito Orides Kormann (PMDB). Ele é acusado de praticar horas excessivas de trabalho com máquinas que não seriam compatíveis com o período utilizado.

O presidente da casa, Felipe Eilert (PT), se pronunciou a respeito do caso porque, segundo ele, foi citado em uma matéria de um jornal local, onde o ex prefeito disse que denuncias seriam politiqueiras. Eilert  se defendeu, falando que o papel do vereador é fiscalizar e  denunciar.

“Eu fiz o comentário realmente com o intuído de me defender porque eu fui acusado de fazer acusações infundadas, de fazer politicagem. Eu disse na tribuna que esse é o papel do verador segundo a Constituição Federal, em seu artigo 31, que é fiscalizar as contas e os gastos do Executivo municipal.”

Segundo ele, foi isso que aconteceu. "Fizemos a denúncia para o MP e foi acatado, investigado e concluiu-se que haviam inverdades nas notas que foram paresentadas. Não estamos julgando ninguém nessa casa legislativa. Nossa função é fiscalizar e foi isso que me defendi perante as palavras dos ex-prefeito que disse na imprensa”, explicou o presidente da Câmara de Guabiruba.

Já Nilton Rogério Kohler também entrou no mérito da questão sobre o ex prefeito Orides Kormann. “Essa situação, que vem sendo veiculada nos últimos dias, deixa a população sem saber o que está acontecendo. Realmente, acusar uma pessoa antes de ser julgada é dificl  e eu citei o mesmo caso do Poder Executivo, que gastou R$ 1,5 milhão e não R$ 80. mil, como saiu na matéria do jornal aqui em Guabiruba, do ex prefeito Orides. Todo mundo sabe como o Orides entrou na Prefeitura e como saiu, tendo em vista que ele está vendendo alguns terreno para se manter”, disse Nilton.

Kohler se mostrou indignado sobre a noticia de que os menores que assaltaram um casal em Guabiruba na semana passada foram liberados pela justiça por falta de vagas em centros socioeducativos.

“ Eu fui informado da liberação desses menores e me causa certa estranheza, aja visto que esse crime foi praticado de forma violenta e o que nós temos a lamentar foi a liberação desses bandidos. A polícia fez o seu trabalho e, por força da lei, a justiça teve que soltar falta de condições para manter eles em um local. Isso é lamentável. A situação que se encontra esse país, porque isso vem de encontro com a falta de investimento em segurança causada por esse governo”, desabafou Kolher.

Dúvidas ou Sugestões

Ano de impasses e negociação no setor têxtil

Apesar das dificuldades, os trabalhadores têxteis de Brusque e região conseguiram na negociação manter todas as cláusulas da convenção coletiva de trabalho. Mas algumas empresas, dentro de um pequeno grupo entre mais de 300, começaram a atrasar salários e não recolher FGTS. Este foi um dos maiores problemas enfrentados ao longo do período de 2015. A afirmação é do presidente do Sindicato dos...
Continuar lendo...

Rua das Tulipas tem primeira etapa de pavimentação concluída

A Prefeitura de Brusque, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, completou a primeira de três fases de pavimentação na rua Das Tulipas, situada no bairro Rio Branco. Nesta primeira etapa, foram colocados aproximadamente 400 metros de uma nova camada asfáltica, facilitando e trazendo mais conforto para a mobilidade dos moradores da localidade e, também, dos motoristas que passam pela via. Conforme explica o...
Continuar lendo...

Reincidente é preso por tráfico de drogas

Ao final da tarde de domingo (28) por volta das 17h14 uma guarnição da PM realizava rondas nas proximidades do terminal urbano no Centro de Brusque quando avistou um homem em atitude suspeita atravessando a rua. O homem ao perceber que iria ser abordado pela PM começou a empreender fuga a pé, momento em que dispensou uma carteira de cigarros antes de ser abordado. Tentou fugir porém não conseguiu, ele foi abordado na Praça da Cidadania e na...
Continuar lendo...