O clima pega fogo na convenção do PP em Brusque

O clima esquentou pra valer na convenção que definiu os rumos do Partido Progressista (PP) para as eleições municipais deste ano. A reunião foi realizada no Clube Caça e Tiro Araújo Brusque, mesmo local em que acontecia o encontro do Partido dos Trabalhadores (PT). Em discussão estava se a legenda apoiaria a chapa do PDT ou se fecharia com o PT.
Entre socos na mesa, gritos e acusações, os as discordâncias eram evidentes entre os membros que compunham o encontro. Alguns se diziam inconformados por que a decisão já teria sido tomada na semana anterior, em que se definiu que o partido iria se colocar ao lado de Dagomar Carneiro com a chapa do PDT. Outros, no entanto, afirmavam que o PP estaria sendo incoerente com a história ao selar aliança com a chapa que tem apoio da atual administração.
Em dado momento chegou-se a colocar que o PMDB teria se oferecido para ser vice do PT, cedendo espaço maior para os pepistas na composição, caso o partido aceitasse fechar com Paulo Eccel. A especulação foi desmentida em instantes. Da mesma forma, chegou a informação de que o PDT teria oferecido quatro secretarias, caso fosse eleito em 5 de outubro, para que o PP fechasse alianças com a legenda.
Depois de mais de dez discursos dos principais membros pepistas, o grupo foi à votação e confirmou apoio ao Partido dos Trabalhadores. Alguns dos membros da executiva deixaram a reunião por não concordar com o posicionamento adotado. Da mesma forma, outros ameaçavam deixar o recinto caso fosse fechado com o PDT. Com a decisão do apoio aos petistas, o empresário Evandro Faria foi indicado como candidato a vice ao lado de Paulo Eccel.
Dúvidas ou Sugestões