Boca era “gerenciada” por jovem de 18 anos

Após resolver o assalto a uma empresa de transporte coletivo no início da tarde de ontem (23), onde dois marginais foram presos em flagrante, a PM recebeu nova denúncia de um atropelamento seguido de assalto a uma senhora de 69 anos de idade, no bairro Águas Claras, de quem foram furtados R$ 250. Populares viram o homem fugindo de bicicleta em direção à saída da cidade pela estrada Gentil Archer. Certos de que o marginal estaria se dirigindo à boate da Pacheca, as guarnições iniciaram uma “operação varredura” no local. De cara foi encontrada uma grande concentração de pessoas na “Casa da Grota”, às margens da rodovia Gentil Archer, anexa à boate, onde o tráfico de drogas é intenso. No flagrante, além de certa quantidade de dinheiro e drogas (20 gramas de maconha e 12 gramas de cocaína), 18 homens aguardavam “atendimento”. Todos foram identificados, sendo que apenas um foi encaminhado à DP. O que chamou a atenção dos policiais foi o fato do complexo bar-boate-boca estar sendo gerenciado por uma jovem de 18 anos de idade. Viciada, ela possivelmente sustenta a dependência prestando serviços como “gerente da área”, em troca de “comissão” na forma de drogas e uns trocados. Foram apreendidos ainda cachimbos para consumo de crack, um aparelho de telefone celular, três correntes prateadas e um aparelho para DVD.
Dúvidas ou Sugestões