Novo protesto de agentes de saúde na Câmara

A polêmica em torno da implantação do cartão ponto para agentes de saúde continua. Na sessão desta terça-feira (22) da Câmara Municipal de Brusque, os profissionais novamente ocuparam o plenário para protestar contra a medida adotada pela Prefeitura, através da secretaria municipal de Saúde.

De posse de cartazes e com direito ao uso da tribuna, os manifestantes tomaram conta dos espaços. Até a presença da Polícia Militar no acesso ao prédio foi solicitada pela mesa diretora da Casa para evitar atritos. Alguns que entraram no local com mochilas tiveram as mesmas revistadas pelos policiais.

Representando os demais colegas de trabalho, a agente de saúde Eliana da Silva França, do Bairro Santa Luzia, leu um discurso previamente escrito na tribuna. Falou da dificuldade de se realizar a atividade diariamente, a atitude da Prefeitura na implantação do sistema de cartão ponto e criticas ao reajuste nos vencimentos dos médicos, proposta do Executivo para tentar manter os profissionais na cidade. No discursos, defendeu que o aumento fosse estendido a todos os funcionários do setor de saúde.

Após a leitura, ela entregou o documento ao presidente da Câmara, Guilherme Marchewsky (PMDB). Momento em que todos os demais que assistiam na platéia se levantaram e ficaram em pé por alguns instantes. Nas mãos, cartazes com dizeres críticos, além de reivindicações da classe.

Entenda o caso

A Prefeitura de Brusque anunciou recentemente que os agentes de saúde passariam a ter que registrar os início e término de jornada de trabalho nas unidades. Esses registros devem ser feitos na entrada, saída para o intervalo, retorno e encerramento do trabalho no final do dia. Até então, os agentes precisavam apenas assinar um livro, registrando suas presenças. A atitude gerou indignação dos profissionais, que alegam enfrentar dificuldade com a medida, pois suas atividades são realizadas nas ruas e isso demandaria muito tempo para se deslocar até a unidade.

Dúvidas ou Sugestões