Justiça rigorosa e vigilante

Se há um Poder da República que funciona em Brusque, é o Judiciário. Apesar dos milhares de processos gerados anualmente pela sociedade nos mais diferentes segmentos, o Fórum da Comarca mantém um ritmo que pode ser considerado como exemplar. Na medida do possível, o esforço, a dedicação e o profissionalismo dos magistrados e dos demais membros do Judiciário bem que poderiam ser seguidos pelos poderes Executivo e Legislativo.
Em entrevista exclusiva à reportagem da Rádio Cidade, a juíza da 5ª Zona Eleitoral, Quitéria Tamanini Peres, deixou claro que a vigilância e o rigor do Poder Judiciário estão sendo executados “como deve ser”. Para ela, os cidadãos devem levar as informações de fatos ilegais ao Judiciário, para que esse mesmo Judiciário “possa agir em defesa da sociedade”.
A juíza considera que a denúncia de práticas abusivas é a maior demonstração do exercício da cidadania. E, para ela, esse exercício democrático só poderá ser aperfeiçoado “pela Educação e o desenvolvimento do senso crítico, com os cidadãos tendo coragem de não se conformar com o que é errado”.
Se a sociedade ainda padece de uma convivência mais harmoniosa, onde a coletividade possa usufruir dos benefícios gerados por ela própria, é porque, na visão de Quitéria Péres, “ainda falta coragem para se exigir mais” daqueles que foram escolhidos democraticamente para administrar a vida pública.
Dúvidas ou Sugestões