Policial perde cargo e é condenado

O ex-policial e detetive particular José Carlos Goethen (45) foi julgado e condenado à 6 anos e 4 meses de reclusão e o comparsa dele, o então policial José Carlos Raimundo (51), foi excluído do quadro da secretaria de Segurança Pública do Estado de Santa Catarina e condenado à 6 anos e 8 meses de prisão. Em 30 de outubro do ano passado, uma denúncia de extorsão levou à prisão da dupla.

Enquanto acertavam o pagamento pelos “serviços prestados”, o empresário e Goethen foram surpreendidos com a chegada de duas pessoas. Uma delas era José Raimundo, que se identificou como sendo policial da Deic (Delegacia Estadual de Investigação Criminal) da Capital.


Alegando que o trabalho do detetive particular vinha sendo feito de forma irregular, inclusive com escuta telefônica sem autorização judicial, Raimundo deu voz de prisão aos dois afirmando que ambos seriam conduzidos à Deic.

Logo que saíram de Brusque, o empresário desconfiou de que se tratava de um golpe. Em seguida, ele pediu que parasse o veiculo em uma panificadora e rapidamente conseguiu pedir a uma balconista que ligasse para a Polícia Militar. Os dois foram presos em flagrante pela prática do golpe conhecido como "achaque".

Dúvidas ou Sugestões