Aposentados podem aumentar seus benefícios

Maria Roseli Beuting, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, em entrevista ao Jornal da Cidade desta quinta-feira (25), trouxe mais detalhes em relação à lei da desaposentadoria. Aprovada pelo Senado, ela pode beneficiar entre 600 mil e 700 mil trabalhadores. De acordo com o projeto, aposentados que voltaram a trabalhar poderão, mediante a renúncia do benefício que dispõem, solicitar o recálculo, podendo assim aumentar o seu valor.
Apesar de divergirem se essa é a melhor forma de corrigir a injustiça com esse grupo de pessoas, especialistas afirmam que não é mais possível admitir que aposentados que continuam na ativa sejam obrigados a contribuir com a Previdência Social, sem receber nada em troca. Beuting é favorável a Lei e crê que ela realmente irá beneficiar os brasileiros.Porém, pede cautela.
Para aqueles que pretendem solicitar o benefício, ela aconselha que procurem instruções antes de qualquer decisão precipitada, pois, conforme a sindicalista, cada caso precisa ser analisado, a fim de saber se é ou não viável solicitar a desaposentadoria.
Tão logo o Senado aprovou o projeto de lei, o governo federal começou a agir na tentativa de barrar a mudança. Como foi aprovado em caráter terminativo pela comissão de assuntos sociais do Senado, o projeto seguirá diretamente para a Câmara Federal.
Assim como Maria Roseli Beuting, Renato Follador, consultor de previdência, é favorável à lei. Na sua análise, a desaposentadoria é justa do ponto de vista jurídico e correta em relação à questão técnica. Segundo ele, as regras impostas pelo fator previdenciário são claras em determinar uma correlação entre os valores da contribuição e do benefício.
Portanto, seria inadmissível o aposentado optar por continuar trabalhando e tenha de contribuir com o INSS, sem que isso represente um ganho em sua aposentadoria. Maria estará participando, nesta sexta-feira (26), do 4º Congresso Estadual do Sindicato dos Aposentados e Pensionistas de SC, que ocorrerá em Joinville. O evento contará com as presenças da diretoria executiva estadual e nacional do sindicalismo. O congresso promete movimentar a categoria na luta pelo fim do fator previdenciário e pelo aumento real do benefício das aposentadorias.
Dúvidas ou Sugestões