Última sessão de agradecimentos e discussões

A última sessão ordinária da câmara de vereadores de Guabiruba de 2012 foi marcada por agradecimentos dos vereadores, já que alguns não ocuparão mais a cadeira na próxima legislatura. Outros como os vereadores Nilton Rogério Kohler, Cristiano Korman foram reeleitos e terão mais quatro anos pela frente, além de Matias Kohler, que irá assumir o executivo em 1º de janeiro.

Mesmo assim, ela foi marca por polêmica na votação da ordem do dia. O projeto de lei n.º 33/2012, que "autoriza o poder executivo a firmar convênio com o Sindicato Dos Servidores Públicos Municipais De Brusque E Região (Sinseb)", foi motivo de discórdia por parte dos vereadores.

Em decorrência de tratar-se do último encontro do ano, foi solicitado pelo presidente Vilmar Gums (PSDB) a votação do projeto em regime de urgência, que foi aprovado com os votos contrários dos vereadores Matias Kohler, Cristiano Kormann, Valentin Kohler e Valdeci Ferreira. Como ouve empate, o regime de urgência foi aprovado através do voto de "minerva" do presidente. Da mesma forma em ato continuo o projeto também foi aprovado.

O vereador Matias Kolher afirmou que esse projeto é ilegal. "A legislação é muito clara, que em ano de eleições não se pode criar o fazer nenhuma movimentação, ou qualquer transferência de servideores para outros órgão ainda mais as custas do município, e esse projeto claramente destina um servidor publico municipal efetivo que seja representante sindical. Quando o projeto foi apresentado pel primeira vez em 12 de novembro eu tentei entrar em contato com o presidente do sindicato e não fui atendido. Acredito que ficará de mal gosto perante a população e o atual prefeita tem responder por isso" , disse o futuro prefeito de Guabiruba.

O vereador Cristiano Kormann (PP) parabenizou os profissionais da Casan pelo trabalho realizado no bairro Imigrante, no trecho em que está sendo realizadas as obras de ligação Guabiruba/Brusque. Kormann, também destacou a situação de uma via localizada na área central próximo a rua 10 de Junho, onde um poste está cravado no meio da via pública.

"Essa não é primeira situação desse tipo que nós presenciamos na nossa cidade, e eu constatei que tem um perigo muito grande, e agente sabe que não vai ser fácil para esse problema ser resolvido, então que pelo menos a secretaria de obras possa sinalizar o local para que esse poste seja mais visível no centro da rua".

Colaboração: Alain Rezini

Dúvidas ou Sugestões