Bastidores do primeiro dia de júri do goleiro Bruno

O primeiro dia do júri popular do goleiro Bruno e dos demais réus, acusados de cárcere privado e morte de Eliza Samudio, ex- amante do arqueiro, foi marcado pelo abandono dos advogados Ércio Quaresma e Zanone de Oliveira Júnior, que defendem Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola", ex-policial e segurança particular de Bruno. O desentendimento dos defensores de Bola partiu dos prazos estipulados pela juíza.

Destaque também no julgamento, que deve durar duas semanas, foram as risadas proferidas pelo ex-goleiro do Flamengo no momento em que seu amigo e ex-motorista, Cleiton Gonçalves, prestava depoimento no banco dos réus. O motivo foi o comentário da testemunha ao responder para o promotor do caso por que foi o único que não reconheceu Fernanda Castro, uma "gostosa" nas palavras dele. "O Bruno teve várias louras", completou.

Momentos antes, Bruno e sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, riram juntos quando o ex- motorista afirmou não ter visto nenhum jogo de Bruno, pois, "quem bebe não vê jogo". Destaca-se também o mal súbito sofrido por Luiz Henrique Ferreira Romão, o "Macarrão", braço direito de Bruno, que retornou a penitenciária, após ser atendido.

Os 5 réus:

Bruno Fernandes de Souza
Denúncia: Mandar matar a ex-namorada Eliza Samudio para não pagar a pensão alimentícia do filho. Continua preso.

Marcos Aparecido dos Santos - "Bola"
Denúncia: Ex-policial militar e guarda costas de Bruno. Possível executor de Eliza. Possivelmente, é integrante de um grupo de extermínio na equipe de elite da PM mineira. Permanece preso.

Luiz Henrique Ferreira Romão - "Macarrão"
Denúncia:
Amigo e braço direito de Bruno. Possível seqüestrador de Eliza. Está preso.

Dayanne Rodrigues
Denúncia:
A mulher de Bruno, na época do crime, é acusada de auxiliar no cárcere privado de Bruninho, filho de Eliza. Responde em liberdade ao processo.

Fernanda Gomes de Castro
Denúncia:
Namorada de Bruno na época, Fernanda é acusada de auxiliar o goleiro a manter Eliza no cárcere. Responde em liberdade o processo.

Colaboração: Alain Rezini

 

Dúvidas ou Sugestões