Juiz quer saber por que réu atrasou

O juiz Edemar Leopoldo Schlosser, que preside o Conselho de Sentença da Comarca de Brusque, vai pedir que o Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap) apure as razões que impediram a chegada do preso Daniel Barbosa (27), que é réu em um processo por tentativa de homicídio, no horário previamente agendado. A sessão do Tribunal do Júri Popular foi aberta às 8h30min desta sexta-feira (14), horário marcado pelo juiz. Mas, foi suspensa diante da ausência do réu e só recomeçou pouco antes do meio dia. O preso está recolhido no Presídio de São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis, e foi conduzido a Brusque por uma escolta especial da Polícia Militar. Segundo os PMs da escolta, o Deap não tinha viatura e nem agentes naquele momento.  Ao reabrir os trabalhos, o juiz Schlosser explicou aos presentes as razões do atraso.  O julgamento de Daniel só deve ser concluído na metade da noite desta sexta-feira, com a publicação da sentença. Daniel tentou contra a vida de Gilberto Day no dia 21 de março de 2004. Naquela data, o réu estava municiado de um revólver calibre 38 quando, numa tentativa de assalto, efetuou quatro disparos contra Gilberto. Um deles atingiu as costas do homem, que até hoje sofre com as seqüelas. Daniel também responde por outros dois assaltos. O primeiro no dia 19 de outubro, quando ele agiu acompanhado de Leandro José dos Santos (18) no assalto ao vigia da empresa Irmãos Zen, José Sebastião Alves Costa (45), de quem levaram um revólver calibre 38 e um aparelho celular. Dez dias depois a vítima foi o taxista Edson Escusiato, assaltado na rodovia Gentil Archer e que foi colocado no porta-malas após ser roubado em 180 reais.
Dúvidas ou Sugestões