Gana não tem rei. Tem presidente

Uma cena inédita em Brusque. A cidade recebeu na tarde de ontem (11) a visita do rei da tribo Se/Shai, de Gana (África Ocidental), Drolor Bosso Adamtey I, que estava acompanhado por uma das filhas, a Princesa Anna Fletcher. O monarca veio a Santa Catarina para palestrar na Igreja Evangélica Internacional Vida Nova, que tem sede em Balneário Camboriú e está comemorando dez anos. Recebido pelo prefeito Ciro Roza e pela primeira dama Denise na casa do mandatário municipal, o rei tribal se mostrou diplomaticamente encantado com a cidade.

Apresentado à imprensa como sendo “o Rei de Gana”, Adamtey I não estava acompanhado por ninguém da Embaixada em Brasília ou do Consulado Ganês em Curitiba, nem por alguém do Itamaraty. E nem mesmo pela Polícia Federal, que seria responsável pela segurança de um Chefe de Estado em Território Nacional.

A assessoria do prefeito Ciro Roza, que falhou feio, acabou deixando o chefe do executivo brusquense em situação constrangedora. E, como não havia nenhum ritual oficial, Ciro trocou a visita nada protocolar de Adamtey I por um encontro previamente agendado com o governador Luiz Henrique da Silveira, em Florianópolis.

Adamtey I tem como nome “civil” Kingsley Fletcher. Ele é de linhagem real de ambos os lados da família. É filho de Nene Agidi e Lady Esther-Victoria. Nasceu em Asamankese, na região oriental de Gana. Foi coroado em 1999. Hoje, ele é o porta-voz do governo de Se. O Rei Adamtey I, que tem dois doutorados (filosofia e teologia) e também é formado em engenharia elétrica, é conselheiro especial da ONU desde 1999. Hoje, é casado e tem duas filhas. Eles residem na Carolina do Norte (EUA) e também em Gana.

Fletcher começou seu ministério evangélico aos 10 anos de idade, em Gana. Aos 23 anos já havia fundado mais de 200 igrejas. Se movendo na área profética, começou a viajar o mundo. Foi missionário na França, Inglaterra e outros países da Europa, até que chegou aos Estados Unidos. Com nove livros escritos e um programa de televisão, o ministério de Fletcher tem causado um impacto forte na nação norte americana.

O Estado de Se (Shai, para os colonizadores ingleses; e Reinado, na tradição africana), fica na chamada Grande Accra, capital localizada no sudeste de Gana, Oeste da África. É formado por três clãs familiares, conhecidos como casas reais ou divisões. São elas: Lekpedje, Heomerh e Heowe. A maior casa real é Lekpedje, de onde Drolor Bosso Adamtey I é original. A menor casa real é Heowe.

História - Gana foi a primeira colônia da África negra a obter a independência, em 1957. Até então aquele país foi uma colônia britânica. Era conhecida como Costa do Ouro. No entanto, desde 1992 Gana é uma democracia. A República Ganesa é um país da África ocidental, limitado a norte pelo Burkina Faso, a leste pelo Togo, a sul pelo Golfo da Guiné e a oeste pela Costa do Marfim.

A constituição de Gana, de 1992, determinou um sistema de governo multipartidarista com Parlamento unicameral e presidente eleito por voto universal para um mandato de quatro anos. O presidente, que é ainda o chefe de estado e o comandante das forças armadas, escolhe um Conselho de Ministros, sujeito à aprovação do Parlamento. Os membros do legislativo também são eleitos por sufrágio universal para um mandato de quatro anos.

O atual presidente da República de Gana, no poder desde 7 de janeiro de 2001, é o político ganense John Kofi Agyekum Kufuor, nascido na cidade de Kumasi em 8 de dezembro de 1938. John venceu as eleições em 2000, sucedendo a Jerry Rawlings, que o havia derrotado na eleição de 1996.

Esta foi a primeira transferência pacífica do poder no país, desde a sua independência.  

Dúvidas ou Sugestões