Qual a melhor maneira de declarar?

Inicio de não é sempre uma preocupação para quem está inserido no grupo das pessoas que precisam declarar Imposto de Renda (IR). Somente quem recebe ate R$ 1.499,15 está livre da tributação e do leão. Quem se encontra inserido com ganhos mensais acima desta faixa precisa declarar de 7% a 27,5%, dependendo da renda que obtêm.

Existem dois tipos de declarações que podem ser feitas, a simplificada e a completa. Para escolher qual a ideal, o contribuinte deve fazer algumas contas. Na simplificada, ele tem direito a 20% de desconto sobre os rendimentos tributáveis, limitados a R$ 12.743,00, sem necessidade de comprovação. Sandra Batista, sindicalista no setor de contabilidade, explica como deve ser feita a análise para descobrir qual a melhor forma de declarar o imposto.

"A pessoa pega o valor tributado de rendimentos e multiplica por 20%. Faz uma nova conta. Soma todas as despesas dedutíveis, como educação, saúde e dependentes, chegando a esse número. Se o valor das despesas dedutíveis for maior que os 20% a melhor declaração é a completa. Se for o contrário, a melhor é a simplificada" destaca a sindicalista.

Sandra diz ainda que é preciso ficar atento para as diferenças existentes entre as duas formas. Apesar de muitas vezes, alguns contribuintes julgarem ter acertado na escolha. "O contribuinte recebe R$ 100 mil, vezes 20% ele teria o desconto simplificado de 20 mil. Só que ele tem aquele  limite de R$ 12.743,00. Somou as despesas e tem despesas dedutíveis de R$ 16 mil. A melhor opção para ele neste caso é a completa, porque R$ 16 mil de despesas dedutíveis é maior que o desconto simplificado" afirma ela.

O próprio sistema da Receita Federal já esta preparado para avisar ao contribuinte se o tipo de forma escolhida é a ideal. Na tela do computador, o formulário já apresenta a opção. A maior parte dos contribuintes costuma optar pela simplificada.

Fonte: Agência Radio Web

Dúvidas ou Sugestões