Prefeitura afirma que quer dialogar com Hospital de Azambuja

Secretário de Comunicação Social, Didi Maçaneiro afirmou que as negociações com a diretoria do Hospital de Azambuja prosseguem por parte da prefeitura. Mesmo após o recebimento da notificação extrajudicial informando sobre o pedido de cancelamento do contrato com o Fundo Municipal de Saúde. Maçaneiro disse que a sociedade deve cobrar do governo do estado maior empenho e participação, pois compete a esta esfera uma parte da responsabilidade para com a unidade.

Durante reunião extraordinária do Conselho Municipal de Saúde (Comusa), realizada na quarta-feira (10), um dos administradores do hospital informou que estará vindo a Brusque nos próximos dias uma comitiva do Ministério da Saúde para realizar a análise dos serviços que foram contratados pela prefeitura e ter informações claras e precisas do quanto a tabela do SUS poderá ser reajustada.

Na notificação extrajudicial entregue à prefeitura, informando do cancelamento contratual, a alegação é a dívida financeira que o Hospital de Azambuja vinha acumulando nos últimos meses, sem qualquer perspectiva de melhora, de acordo com o comunicado.

Em contrapartida, a prefeitura anuncia que, entre os futuros investimentos na área da saúde está a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Bairro Santa Terezinha. Após a conclusão desta obra, o atendimento no pronto socorro do Hospital de Azambuja deve desafogar. Pelo menos é o que aposta a prefeitura.

Maçaneiro reafirma que não apenas o governo do estado, mas outros municípios que usufruem dos serviços do Azambuja poderiam contribuir mais com o hospital.

Dúvidas ou Sugestões