Reunião inicia negociação entre trabalhadores e patrões

Aconteceu na última segunda-feira (8), a primeira reunião entre representantes da classe patronal e dos trabalhadores para discutir a negociação coletiva 2013/2014 da construção civil e do mobiliário de Brusque e região. O encontro foi realizado no Senai, e teve a presença de integrantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque região (Sintricomb), do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário (Sinduscon) e do Ministério do Trabalho.

Em pauta o roll de reivindicações apresentado pelos trabalhadores. Documento este que é fruto das assembleias realizadas pela categoria nos dias 22, 23 e 24 de março, em quatro das sete cidades da base territorial do Sintricomb.

Segundo o presidente do Sintricomb, Izaias Otaviano, nenhuma definição saiu deste encontro, o que é normal no início da cada negociação. A reunião serviu mais para que a classe patronal tomasse conhecimento, de forma oficial, sobre os pleitos. “Sabemos que a primeira reunião da negociação coletiva ela é apenas de praxe, somente para assinar e garantir o termo de data base. Mas, mesmo assim, houve avanços, ficamos mais de uma hora e meia discutindo e, creio, na próxima semana já devemos ter uma posição do sindicato patronal”, destaca ele.

Um dos pontos levantados foi a proposta de se manter por um prazo maior algumas cláusulas que já integram a convenção coletiva há vários anos, para que não seja necessária nova discussão das mesmas nas próximas negociações, visto que elas são sempre mantidas por estarem ambas as partes de acordo. “São cláusulas sociais e não econômicas, e já constam na convenção coletiva há mais de vinte anos. daí a ideia é aprovar a manutenção delas por um período de dois a três anos e, na próxima negociação, discutirmos apenas as cláusulas econômicas, como os reajustes salariais”, explica Otaviano.

Este ano, os trabalhadores apresentaram à classe patronal pedido de reajuste de 16% nos valores dos pisos salariais e 12% nos ganhos de quem recebe acima do piso. A convenção coletiva da construção civil e do mobiliário de Brusque e região atinge cerca de 5,5 trabalhadores diretamente, ou,aproximadamente, 17 mil pessoas de forma indireta.

Participaram da reunião de segunda-feira pelo Sintricomb o presidente Izaias Otaviano, a assessora jurídica Rosana Petzov, o secretário-geral Dari Mota Sutil e o trabalhador Benildo Luiz Delvos, integrante da comissão de negociação provada as assembleias, além do presidente do Sinduscon, Ademir José Pereira, e da responsável pela agência do Ministério do Trabalho de Brusque, Leníria da Cunha.

Dúvidas ou Sugestões