Preparador físico pede dispensa do Brusque FC

O Brusque Futebol Clube precisará buscar um novo profissional responsável pela preparação física para o restante da Copa Santa Catarina e para o Catarinense. Alexandre Andreis pediu sua dispensa para a diretoria na última sexta-feira (10) por conta de situações particulares.

A informação do pedido de dispensa foi confirmada pelo diretor de futebol Carlos Beuting. Porém, para que a liberação do profissional aconteça, o Brusque precisa procurar outro preparador físico para assumir a posição. Enquanto isso, segundo o diretor, Alexandre ainda trabalha para o Brusque.

Em contato com a reportagem da Rádio Cidade, o preparador confirmou sua saída do Brusque Futebol Clube. De acordo com ele, além da situação familiar, ele recebeu uma oportunidade de trabalhar no Ypiranga (RS), clube de sua cidade, Erechim. Junto da família, ele poderia cuidar do problema com mais tranquilidade.

Com a saída do preparador, a tendência é de que até o meio da semana um novo profissional trabalhe com o grupo visando o jogo contra o Joinville, no próximo domingo (19), no norte do Estado.

"Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte."



Antes de comentar leia os


Após título do JASC, ciclismo já mira 2018

11 dias atrás

Parte da equipe do ciclismo de Brusque, campeã dos Jogos Abertos de Santa Catarina em Lages, esteve na manhã desta segunda-feira (13) participando do Rádio Revista Cidade. O treinador Eduardo Gohr e o medalhista no contra relógio individual, André Gohr falaram sobre a conquista, que veio com sobras. Eduardo afirmou que toda a preparação e a montagem da equipe foi feita pensando no título geral, com pontuação em todas as provas. A ideia era posicionar os atletas sempre entre os oito primeiros de cada prova, o que garantiria maior pontuação. Justamente por isso, a equipe foi a única a somar mais de 10 pontos em todas as disputas do ciclismo. Em algumas situações, as medalhas naturalmente aconteceriam, como nas provas do contra relógio, downhill e bicicross, porém, o que interessava era o desempenho coletivo da equipe. Um dos exemplos citados pelo treinador foi a prova de estrada, que Brusque não conseguiu a medalha, mas posicionou um atleta em 4o lugar e outro em 7o lugar, dando uma somatória boa de pontos. Título conquistado, comemoração realizada, a hora é de pensar nos Jogos Abertos de 2018, que acontecerão em Caçador. E algumas mudanças em provas específicas serão pensadas, principalmente pela nova regra dos JASC, que exige o atleta morar há pelo menos dois anos em Santa Catarina para competir. Apesar da diferença no nível técnico, Brusque deve também ter sua equipe no ciclismo feminino, que a partir do próximo ano terá uma modalidade separada. Eduardo Gohr citou a dificuldade para se encontrar atletas em nível de competir com as que já disputam os Jogos Abertos. Ano de afirmação e planejamento André Gohr, que representa a equipe paulista Funvic, e disputa os Jogos Abertos de Santa Catarina por sua cidade natal falou sobre o momento que vive no ciclismo. Integrante da seleção brasileira sub-23, ele acredita que até 2020 possa cavar uma vaga na seleção principal e ser um dos representantes nas Olimpíadas de Tóquio. Serão duas semanas de folga para o atleta até a reapresentação à equipe na qual ele tem contrato. Assim que terminar a folga, ele volta para o interior de São Paulo, onde disputará os Jogos Abertos do Interior, competição tradicional que contribuiu para o surgimento dos JASC. Confira no vídeo abaixo a entrevista da equipe de ciclismo:

Esporte

Brusquense participa da principal competição mundial de beach tennis em Aruba

11 dias atrás

O brusquense André Baran inicia a partir desta segunda-feira (13) um dos principais desafios da carreira. Até domingo (20), ele compete entre os melhores atletas do mundo no Mundial de Beach Tennis que será realizado na ilha caribenha do Aruba. Ao lado do companheiro Daniel Canellas, de Joinville, o atleta de Brusque mais uma vez joga para se consolidar entre os grandes nomes da modalidade. Atual número 1 do estado, Baran já ganhou tudo que disputou em nível local e tem cada vez mais alcançado destaque entre os melhores atletas da atualidade em nível nacional. No último fim de semana, chegou a ser semifinalista da Etapa Mormaii, torneio realizado em Balneário Camboriú que vale pontuação para o ranking mundial. Deixou para trás grandes atletas, entre eles, alguns que já aparecem entre os 20 melhores do mundo. “A gente vem jogando três ou quatro torneios seguidos e tendo resultados excelentes. Ganhamos três torneios seguidos e depois jogamos o Mundial em Balneário. Perdemos nas semis para um dos melhores do mundo depois de ganhamos bons jogos, inclusive de jogador que já foi o melhor do mundo. Resultados muito bons para chegar bem em Aruba”, comenta. Somente na edição do ano passado, foram 1300 participantes, mas a expectativa é de que este ano a quantidade de atletas em Aruba seja ainda maior. “É um torneio que tem premiação de 40 mil dólares e este ano deve bater recorde de participantes. É um dos melhores lugares do mundo para jogar beach tennis, o país pára, com uma estrutura totalmente voltada para isso”, observa. Além de Baran, cerca de outros 20 brusquenses também deve participar do Mundial, mas o atleta, que foi o expoente da modalidade na cidade, é o único que vai competir na categoria profissional. “O beach tennis hoje é um esporte que a cada dia vem crescendo mais”, destaca. Segundo Baran, somente na Sociedade Bandeirante cerca de 300 pessoas praticam a modalidade atualmente. “É algo que está muito popular agora, não somente no litoral. O próprio país tem uma nova geração forte, inclusive já teve dois atletas que já foram melhor do mundo, algo raro pelo Brasil estar há pouco tempo no esporte. Acredito que em breve teremos muitos atletas no top 10 do mundo”, finaliza.

Esporte

Em jogo maluco, Brusque vence a primeira na Copa Santa Catarina

11 dias atrás

A partida deste domingo (12) entre Brusque e Inter de Lages pode ser classificada como uma das mais malucas dos últimos tempos no futebol catarinense. O Brusque saiu na frente, tomou o empate, chegou a estar goleando o Inter de Lages por 4 a 1 e quase tomou o empate. Porém, no final das contas, a primeira vitória apareceu no Augusto Bauer. Precisando da vitória para se manter vivo no torneio, o Brusque abriu o placar logo aos 7 minutos, quando Jean Dias cobrou falta no cantinho e Fabian Volpi aceitou. Na frente do marcador, o time controlava a posse de bola e pouco era ameaçado. A equipe do técnico Picoli teve oportunidade de ampliar, porém, aos 43 minutos uma falha oportunizou o empate com Menezes. No segundo tempo, o Brusque começou errando bastante, principalmente nas saídas de bola da defesa. Porém, a equipe conseguiu encontrar uma boa marcação na saída de bola do Inter e abriu 4 a 1 com tranquilidade, com gols de Wilson Júnior e dois de Edu. Porém, a tranquilidade esperada não apareceu na sequência do jogo. Em um lance que começou com Edu levando uma pancada e o jogo não parando, o levantamento na grande área foi na cabeça de Max, que diminuiu para 4 a 2. Aos 35 minutos, o árbitro Diego da Costa Cidral viu pênalti contra o Brusque. Na cobrança, Max deslocou Dida e fez 4 a 3. Os minutos finais foram de tensão para confirmar a primeira vitória do Brusque no torneio. O resultado, combinado com a vitória do Tubarão sobre o Joinville, coloca o Brusque em condição de conseguir a vaga na final da Copa SC com uma vitória no próximo domingo (19), quando o Brusque enfrenta o Joinville, no norte do Estado. O time foi a seis pontos, enquanto que o Joinville tem oito.

Esporte
Subir