Temer: “Não renunciarei. Sei o que fiz”

Em pronunciamento durante a tarde desta quinta-feira (18), o primeiro após a revelação de que teria pago pelo silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em sua delação premiada, o presidente da república, Michel Temer, afirmou que não renunciará ao poder em virtude de tais situações reveladas.

Temer declarou em seu discurso que só falou quase um dia depois dos fatos, pois tentou conhecer o conteúdo das gravações onde é citado. Inclusive ele solicitou ao STF o acesso aos documentos. Porém, até a hora em que falou com a imprensa, não conseguiu o acesso aos mesmos.

O presidente também reafirmou o que ele considera até ontem os bons números da economia e da recuperação do país, principalmente na geração de empregos. Ele classificou as gravações entregues pelo dono da JBS como clandestinas, e falou que a entrega dessas gravações seria apenas uma tentativa de bagunçar o bom momento econômico do país e trazer novamente o fantasma da crise política.

Ele ressaltou que em nenhum momento pediu que pagassem pelo silêncio de Eduardo Cunha. Afirmou não temer nenhuma delação e não ter nada a esconder. De forma enfática, Temer afirmou que não renunciará ao cargo, e pede investigação plena e rápida para uma resposta aos investigados e ao povo brasileiro.

"Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte."



Antes de comentar leia os


Vereador fala sobre trabalho da comissão da saúde

211 dias atrás

O vereador Paulinho Sestrem esteve na manhã desta quinta-feira (18) no Rádio Revista Cidade para falar sobre diversos temas em torno de sua atuação no Poder Legislativo. Entre os assuntos, estão o Maio Amarelo, as visitas da Comissão da Saúde à unidade básicas e também a fiscalização de obras. Restam ainda cerca de 20 visitas que precisam ser feitas pela comissão nos próximos meses. De positivo, Sestrem destaca que a maioria dos profissionais da saúde são pessoas que querem fazer a coisa funcionar, bem como as estruturas das unidades visitadas até o momento são boas, com pequenas adequações necessárias. O vereador também destacou o conhecimento de causa e a competência do secretário de saúde, Dr. Humberto Fornari, apesar das várias dificuldades. Já entre os problemas que mais chamam a atenção, um deles é a falta de remédios na maioria das unidades, entre eles alguns dos mais solicitados pela população. Nas visitas, Sestrem também ressaltou que a média da fila de espera para consultas nas unidades que a comissão passou gira em torno de 20 a 25 dias. Ele também afirmou que várias pessoas acabam faltando com o compromisso, e deve constar no relatório final da comissão que pacientes agendam consultas nas unidades, agendam exames e não aparecem, tirando a vez de alguém que também precisa do atendimento através do SUS. Sobre a divergência com o vereador Nilson Pereira na sessão do dia 2 de maio – RELEMBRE AQUI – Sestrem afirmou que o papel do vereador é de fiscalização, inclusive por parte dos vereadores de situação. Apesar do desentendimento no plenário da Câmara, Sestrem espera que tanto ele como Pereira possam trabalhar em prol da cidade, independente de posições partidárias.

Politica

Orides Kormann é condenado pela justiça

211 dias atrás

A juíza Iolanda Volkmann, da Comarca de Brusque, julgou procedente o processo administrativo contra o ex-prefeito de Guabiruba Orides kormann. Kormann foi denunciado pela Câmara de Vereadores, que durante o período de 2005 a 2010 quando na sua gestão como prefeito, realizou contratação direta de pessoal, sem observância da regra constitucional do concurso Na decisão divulgada esta semana, Orides Kormann foi condenado pelo cometimento do ato de improbidade administrativa previsto no art. 11, inciso I, da Lei n. 8.429/92, às seguintes penalidades: Pagamento de multa civil de 05 (cinco) vezes o salário que percebia na condição de Prefeito Municipal, devendo o valor ser destinado ao Município de Guabiruba e sofrer incidência de correção monetária a partir da publicação da sentença (TJSC, Apelação Cível n. 2012.026793-7, de Içara, rel. Des. Gaspar Rubick, j. 25-02-2014); Proibição de contratar com o Poder Público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 03 (três) anos. Ainda conforme a decisão, a juíza finaliza. “Em consequência, extingo o processo com resolução de mérito, com fundamento no art. 487, inciso I, do CPC. Condeno, ainda, o réu a arcar com as custas processuais, isentando-o do pagamento dos honorários advocatícios, conforme fundamentação supra.” Para esse processo não cabe recurso.

Politica

′Brusque vai voltar na época de Ciro Roza, um queijo suiço′

212 dias atrás

O vereador Claudemir  Duarte (PT), o Tuta, utilizou a tribuna da Câmara para falar da administração municipal. Na opinião dele está faltando vontade por parte do governo de resolver as pequenas coisas. Ele destacou a reunião que os vereadores tiveram com o executivo, para justamente buscar apoio do legislativo. Tuta disse que quer contribuir com o executivo, mas está faltando ação da prefeitura para realização de obras. Principalmente relacionado ao caso das obras do PAC. “Tem que ter vontade de querer fazer as coisas” disse o vereador. Ele também destacou o problema do hospital Evangélico e Maternidade, disse que faltou envolvimento do executivo, citando o exemplo do ex-prefeito Paulo Eccel, que se envolveu diretamente na época do caso do hospital de Azambuja. “Se não fazer um plano estratégico para fechar os buracos de Brusque vai voltar como na época de Ciro Roza, vai virar um queijo suíço” finalizou Tuta.

Politica
Subir