PC deflagra maior ofensiva contra facção criminosa em SC

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Repressão ao Crime Organizado da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, deflagra na manhã de hoje, quinta-feira (20) operação visando o cumprimento de 112 mandados de prisão e 40 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Florianópolis, São José, Balneário Camboriú, Itajaí, Joinville, Araquari e Laguna.

A Operação coordenada pela DRACO/DEIC é a maior ofensiva já realizada pela Polícia Civil contra a facção criminosa atuante em Santa Catarina e com ramificações em outros estados da federação, envolvida em crimes de roubo, tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção de menores, homicídio, estelionato, lavagem de dinheiro e porte/posse/comércio de armas de fogo/munições. As investigações vem sendo realizadas há aproximadamente cinco meses, período em que 11 membros da facção foram presos nas cidades de Florianópolis, Joinville, Navegantes, Balneário Camboriú e Chapecó.

Também identificou as principais lideranças dessa organização criminosa atuantes dentro e fora do sistema prisional de Santa Catarina, as quais são alvos das medidas judiciais. Participam da Operação 200 Policiais Civis da DEIC, DPGF, DIPC, SAER, DIC Laguna, DIC e 2ª DRP Joinville, DIC e SIC/Dpco de Balneário Camboriú, DIC de Itajaí e integrantes da DINI.

"Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte."



Antes de comentar leia os


Bolsa com R$ 1,4 mil é levada de dentro de carro

124 dias atrás

Uma mulher de 22 anos esteve na Delegacia de Polícia para registrar que foi vítima de furto no dia 8 de abril. Ela teve sua bolsa levada de dentro do veículo da amiga, com quem estava de carona para ir a uma praia da cidade de Itajaí. Ao deixar o veículo estacionado, as duas saíram na tarde daquele dia para bater fotos. Ao retornarem para o veículo, notaram que o vidro traseiro do Honda City estava quebrado. Na hora, perceberam que a bolsa da carona havia sido levada. E dentro dela estavam os documentos, bijuterias, uma semi-joia, óculos de grau, perfumes, cremes, remédios e a R$ 1.400,00 em dinheiro. As mulheres acionaram a Polícia Militar de Itajaí para o atendimento, e no local não há câmeras de segurança que possam ter flagrado a ação. 

Seguranca

Jovem é conduzido à DP por mandado de prisão em aberto

124 dias atrás

A Polícia Militar conduziu um homem de 21 anos até a Delegacia de Polícia por conta de um mandado de prisão em ativo. Segundo o boletim de ocorrência, a guarnição estava em rondas pelo bairro Limeira pouco depois das 21h30 de quarta-feira (19), quando viu o jovem entrando em um atrito verbal com a sua companheira, e foi abordado pelos policiais. Ao verificar o nome do jovem no sistema de segurança, foi constatado que ele tinha um mandado de prisão por furto e roubo, expedido no dia 21 de março deste ano, e com validade até o ano de 2022. Por conta disso, ele foi conduzido para a Delegacia, e na manhã desta quinta-feira (20) será levado para a Unidade Prisional Avançada. Em seu relato no boletim, o conduzido relatou que tem residência fixa e emprego em Brusque, e desconhece porque tem um mandado de prisão em aberto, já que em sua visão, está cumprindo tudo que foi determinado pela justiça.

Seguranca

Dívida de quase R$ 3 milhões aparece em nome de falecida

125 dias atrás

Uma mulher de 27 anos esteve na Delegacia de Polícia para registrar que o nome de sua mãe, falecida há quatro anos foi utilizado indevidamente. Segundo o relato, no dia 7 de abril ela recebeu uma correspondência cobrando um valor de mais de R$ 2,7 milhões, além de honorários e acréscimos. A executada no processo é uma empresa de São Bento do Sul, porém, a cobrança é redirecionada para o espólio em nome de sua mãe, que faleceu em 2013. A mulher esclarece no boletim que sua mãe nunca administrou a empresa, e que ela não tinha dinheiro para se sustentar, com a filha bancando alimentos e remédios. Ela suspeita que os documentos da mãe foram utilizados de forma indevida para movimentar a empresa e fraudar pagamentos de impostos e tributos. A mulher afirma que não tem condições de bancar tamanha dívida e tem receio de que seu nome fique negativado, pois não tem nenhuma responsabilidade pela dívida. A mulher afirma que mora em Brusque há sete anos e meio, e já morou em São Bento do Sul, cidade onde fica localizada a empresa, mas não sabia da existência, nem o local exato onde fica o estabelecimento. Ela registrou o boletim buscando providências, pois procurou meios de se defender no caso e até agora não encontrou.

Seguranca
Subir