Bolsa com R$ 1,4 mil é levada de dentro de carro

Uma mulher de 22 anos esteve na Delegacia de Polícia para registrar que foi vítima de furto no dia 8 de abril. Ela teve sua bolsa levada de dentro do veículo da amiga, com quem estava de carona para ir a uma praia da cidade de Itajaí. Ao deixar o veículo estacionado, as duas saíram na tarde daquele dia para bater fotos.

Ao retornarem para o veículo, notaram que o vidro traseiro do Honda City estava quebrado. Na hora, perceberam que a bolsa da carona havia sido levada. E dentro dela estavam os documentos, bijuterias, uma semi-joia, óculos de grau, perfumes, cremes, remédios e a R$ 1.400,00 em dinheiro.

As mulheres acionaram a Polícia Militar de Itajaí para o atendimento, e no local não há câmeras de segurança que possam ter flagrado a ação. 

"Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte."



Antes de comentar leia os


Jovem é conduzido à DP por mandado de prisão em aberto

10 dias atrás

A Polícia Militar conduziu um homem de 21 anos até a Delegacia de Polícia por conta de um mandado de prisão em ativo. Segundo o boletim de ocorrência, a guarnição estava em rondas pelo bairro Limeira pouco depois das 21h30 de quarta-feira (19), quando viu o jovem entrando em um atrito verbal com a sua companheira, e foi abordado pelos policiais. Ao verificar o nome do jovem no sistema de segurança, foi constatado que ele tinha um mandado de prisão por furto e roubo, expedido no dia 21 de março deste ano, e com validade até o ano de 2022. Por conta disso, ele foi conduzido para a Delegacia, e na manhã desta quinta-feira (20) será levado para a Unidade Prisional Avançada. Em seu relato no boletim, o conduzido relatou que tem residência fixa e emprego em Brusque, e desconhece porque tem um mandado de prisão em aberto, já que em sua visão, está cumprindo tudo que foi determinado pela justiça.

Seguranca

Dívida de quase R$ 3 milhões aparece em nome de falecida

11 dias atrás

Uma mulher de 27 anos esteve na Delegacia de Polícia para registrar que o nome de sua mãe, falecida há quatro anos foi utilizado indevidamente. Segundo o relato, no dia 7 de abril ela recebeu uma correspondência cobrando um valor de mais de R$ 2,7 milhões, além de honorários e acréscimos. A executada no processo é uma empresa de São Bento do Sul, porém, a cobrança é redirecionada para o espólio em nome de sua mãe, que faleceu em 2013. A mulher esclarece no boletim que sua mãe nunca administrou a empresa, e que ela não tinha dinheiro para se sustentar, com a filha bancando alimentos e remédios. Ela suspeita que os documentos da mãe foram utilizados de forma indevida para movimentar a empresa e fraudar pagamentos de impostos e tributos. A mulher afirma que não tem condições de bancar tamanha dívida e tem receio de que seu nome fique negativado, pois não tem nenhuma responsabilidade pela dívida. A mulher afirma que mora em Brusque há sete anos e meio, e já morou em São Bento do Sul, cidade onde fica localizada a empresa, mas não sabia da existência, nem o local exato onde fica o estabelecimento. Ela registrou o boletim buscando providências, pois procurou meios de se defender no caso e até agora não encontrou.

Seguranca

Homem flagra vândalos no Parque da Saudade

11 dias atrás

Um homem de 40 anos esteve na Delegacia de Polícia durante a terça-feira (18) para registrar que presenciou pessoas danificando e retirando objetos de túmulos no Cemitério Municipal Parque da Saudade. O fato ocorreu durante a madrugada do último sábado (15), e a Polícia Militar foi acionada, segundo o boletim de ocorrência. Depois da abordagem dos policiais, os suspeitos foram tirar satisfação com a pessoa que notou o fato, por conta da denúncia feita. O comunicante não tem suspeita de quem esteja praticando tais atos, porém, ele informou que frequentemente saques e furtos acontecem no local. O boletim de ocorrência foi registrado para que algo possa ser feito em torno desses casos. Constantemente, os cemitérios da cidade, não só o Parque da Saudade, têm sido alvo de pessoas que levam crucifixos, placas, fotos e até mesmo itens que lembram as pessoas que lá estão sepultadas. A última grande ação registrada no Cemitério Parque da Saudade aconteceu no final do mês de março, quando mais de 80 túmulos foram vandalizados naquele final de semana (RELEMBRE AQUI).

Seguranca
Subir