Abel/Havan/Brusque inicia os treinos para a disputa da Superliga B

A arena Brusque vai dar início ao sonho da cidade de ter novamente uma equipe de vôlei representando a cidade na Superliga. O time da Abel/Havan/Brusque iniciou na última semana a preparação para a participação na Superliga B.
As primeiras movimentações com bola começam com os treinos que são realizados na Arena Brusque, o time se prepara em dois horários: das 9h às 12h e das 16h às 20h. Para o supervisor técnico da equipe, Luiz Antônio Moretto, o desafio vai ser grande. “É uma competição difícil, com um time que tem um técnico campeão olímpico. Vamos colocar Brusque na rota do vôlei, vamos fazer o melhor para isso”, disse. 
Brusque não tinha uma equipe na liga nacional há quase 10 anos. A intenção da coordenação do time é resgatar o espírito do voleibol na cidade. Quem vencer a competição garante uma vaga na elite do voleibol brasileiro.
Estreia
A Abel/Havan/Brusque faz sua estreia na competição no dia 21 de janeiro, jogando contra o time Curitibano, do Paraná, em casa a equipe estreia conta o time do Barueri (SP), que tem como treinador o técnico da seleção feminina de voleibol, José Roberto Guimarães. Partida que ocorre no dia 28 de janeiro. 
Jogos:
21/1 – 18h – Clube Curitibano (PR) x Abel/Havan
28/1 – 20h –Abel/Havan x Barueri (SP)
3/2 – 19h – São Bernardo (SP) x Abel/Havan
11/2 – 20h –Abel/Havan x ADC Bradesco (SP)
22/2 – 20h15 – ACV/Unochapecó/Orbens x Abel/Havan
4/3 – 20h – Abel/Havan x São José dos Pinhais (PR)

 

"Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte."



Antes de comentar leia os


Revista da Chape conta acidente de forma lúdica para crianças

120 dias atrás

O último informativo do ano da Chapecoense, além de homenagear a delegação do clube vítima do acidente com o avião que seguia para a final da Copa Sul-Americana, em Medellín, teve uma preocupação a mais, contar de forma lúdica sobre a tragédia aos torcedores mirins da Chape, dizendo que os jogadores foram “convocados para uma partida no céu.” Como a revista da Chape era de responsabilidade de dois membros do Marketing e Comunicação do clube, Cleberson e o Giba, que estavam no acidente, a Gerente de MKT, Juliana Sá Zonta pediu a equipe formada por Cissa Soletti, Eduardo Guimarães, Abner Steffen e Alessandra Lara Zuanazzi Seidel, que a publicação de dezembro tirasse o peso da tragédia.  A estagiária do departamento de comunicação Alessandra Lara Zuanazzi Seidel, que ficou responsável por falar sobre o acidente em forma de história para os pequenos torcedores, disse em entrevista exclusiva para a Sputnik que a ideia era dar um novo olhar para a tragédia e assim dar um alento especial para as crianças. Fazer esse informativo de dezembro mais do que manter o que já estava planejado foi uma forma de homenagear o pessoal que estava no voo, das 71 vítimas, em específico os nossos dois colegas da área de comunicação. Eles faziam o informativo sempre com muito amor e nós quisemos manter essa ideia, mas houve uma preocupação em abordar a história fugindo um pouco da questão mais trágica, do óbvio. Qualquer jornal e revista ia trazer a notícia, fotos e lista de passageiros como informe de obituário e nós queríamos justamente fugir disso. A Juliana, nossa gerente de Marketing sugeriu que nós contássemos a história dessa forma mais lúdica, como se fosse um pai contando uma história para um filho. Apelamos um pouco para a ficção para transformar essa história em Era uma Vez … e tivemos esse resultado.” Alessandra Lara ressaltou que fazer a história também acabou sendo uma forma de amenizar a própria dor pela perda dos amigos. “Desde o dia que aconteceu a tragédia eu tinha um sentimento dentro de mim muito grande que não sei traduzir, mas era uma responsabilidade. Ao mesmo tempo que tinha dor, tinha essa responsabilidade de dar continuidade ao trabalho e principalmente de honrar o que vinha sendo feito. Eu vou me formar em jornalismo em março, mas eu dizia para todo mundo que de todas as histórias que eu poderia querer contar essa jamais estaria na lista. Foi um desafio escrever essa história dessa perspectiva, mas quando eu consegui escrever, quando eu conclui o texto foi um sentimento de alívio e de missão cumprida, porque eu percebi que realmente consegui honrar o Cleberson e o Giba enfim todas as pessoas que estavam no voo e também de alguma forma oferecer um alento as pessoas que ficaram e principalmente as crianças.” Desde o dia em que o informativo chegou na sede da Chapecoense, a estagiária do departamento de comunicação do clube disse que a repercussão de sua história sobre o acidente tem sido muito positiva para todos na cidade. Todo mundo se sentiu acalentado como a história foi contada. Não só as crianças, mas os adultos, todo mundo gostou de ver a história a partir dessa perspectiva. Até nós mesmos lendo o texto e imaginando a história dessa forma, por mais que saibamos que não é exatamente assim, nos sentimentos mais leve, mais confortável de alguma forma. Nós atingimos mesmo o que queríamos, que era oferecer esse alento, esse conforto e principalmente lembrar e eternizar quem se foi. Além de contar a história de forma mais lúdica, no texto também tomamos cuidados de destacar características e qualidades de cada um.” Além de falar sobre o acidente de uma forma mais leve, a história de Alessandra Lara Zuanazzi Seidel também responde para as crianças como fica o futuro da Chape. “Falamos que Deus levou os melhores, mas também fazemos questão de ressaltar que os melhores também continuam, que além dos sobreviventes tem outras pessoas que irão chegar e vão dar continuidade a Chapecoense. Além da tragédia a maior preocupação num primeiro momento era o que seria da Chapecoense depois do acidente, nós conseguimos de alguma forma esclarecer isso e garantir que sim, que vai continuar a partir das novas pessoas que vão chegar e das pessoas que sobreviveram desse voo.” Para o informativo de janeiro de 2017, Alessandra ressalta que provavelmente a equipe de Marketing da Chape vai trazer as perspectivas para o próximo ano do clube. “Ainda não paramos para pensar mas provavelmente a pauta vai ser a partir da perspectiva da reconstrução do time, mas agora é tempo de bater a poeira e seguir em frente. Provavelmente vai falar da reconstrução e apresentar os novos jogadores  FONTE: Sputnik News Brasil

Esporte

Paysandu recebe recursos com apoio da Havan

122 dias atrás

Autorizado pelo Ministério do Esporte a captar R$ 371.885,75 para investimentos no Projeto Campeões na Bola Campeões na Escola, o Clube Esportivo Paysandu recebeu nesta quarta-feira (28) a sua primeira contribuição. O Presidente do Clube, Zezé Walendowsky confirmou que a Havan, fundada e dirigida pelo empresário brusquense Luciano Hang depositou a quantia de R $ 125.000,00 para a execução do Projeto em 2017. Walendowsky destacou que a empresa já foi parceira do clube na execução da fase um do Projeto e que com este aporte de agora garante a execução da segunda fase. Vale ressaltar que este dinheiro é dedutível do imposto de renda devido e que os demais interessados em contribuir podem procurar a secretaria do clube.

Esporte

Eliomar comemora continuidade no clube em 2017

123 dias atrás

Um dos nomes com a renovação de contrato anunciada pelo Brusque FC logo após a Série D do Brasileiro, o meio-campo Eliomar comemora o fato de continuar vestindo a camisa do clube. O atleta faz parte da espinha dorsal do elenco que vem sendo reforçado. Aos 29 anos, o atleta já soma 30 partidas com a camisa do Brusque e oito gols marcados ao longo dessa caminhada, que iniciou na Série B de 2015. De lá para cá, ele foi decisivo em diversos momentos e admite ter criado uma identificação com a cidade. Eliomar destacou a intensidade da pré-temporada, que iniciou no dia 19 de dezembro, e tem a sua segunda parada programada para o próximo final de semana, para as comemorações de virada de ano. Ele considera importante a antecipação nos trabalhos, já que o Brusque terá 40 dias de treinos na estreia, contra o Figueirense, no dia 28 de janeiro. Mesmo atuando no Marcílio Dias durante alguns meses, na disputa da segunda divisão catarinense, Eliomar ficou em Brusque, e logo após a saída do time de Itajaí, ele praticando atividades em Brusque para manter a forma. Apesar de reconhecer que não era em intensidade igual a dos treinos realizados, ele afirma que é importante para não relaxar, ainda mais em reta final de ano. Nesta terça-feira (27), o elenco trabalhou em dois períodos no CT Rolf Erbe, com atividades comandadas pelo preparador George Castilhos e por Mauro Ovelha sob forte calor. A equipe segue a programação em dois períodos até a próxima sexta-feira (30). O grupo volta a treinar no dia 2 de janeiro, já na expectativa de contar com a chegada do meio-campo Assis e também de mais três atacantes e um zagueiro.

Esporte
Subir