Mulher estaria desaparecida há quase dois meses

Vanessa Cristina Nunes (38) estaria desaparecida desde o dia 1 de dezembro do ano passado. A comunicação do sumiço dela foi feita à Polícia Civil nesta terça-feira (10) pelo pai dela, de 60 anos. Segundo ele, a mulher teria sumido naquele dia depois que uma conhecida e amiga sua foi até a casa da família, arrombado o portão de acesso à residência e desferido xingamentos contra Vanessa.

A mulher estaria embriagada. Ainda segundo o pai, Vanessa teria ficado com receio depois de saber que a família havia feito pedido para que ela se submetesse um tratamento de saúde. Por conta de tanto tempo sem ter contato com ela, o pai resolver pedir ajuda à polícia.

"Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte."



Antes de comentar leia os


Ladrão tentou levar moto e carro da garagem

6 dias atrás

Moradora do Bairro Poço Fundo, em Brusque, denunciou na Polícia civil que sua residência sofreu tentativa de arrombamento e furto. O caso teria ocorrido no domingo, dia 8. Uma das janelas que dá acesso à garagem foi arrombada. Segundo ela, alguém chegou a entrar no local e tentou fazer ligação direta no veículo dela, um Ford Ka. Como não conseguiu efetuar com sucesso a ação, foi embora. Além do carro, uma motoneta Biz também foi danificada na ignição com algo que ela acredita ser uma chave de fendas.  Arrombamento no Rio Branco Uma residência no Bairro Rio Branco também foi alvo de bandidos entre os dias 22 e 28 de dezembro. O dono do imóvel contou na Policia Civil que estava viajando neste período e quando chegou percebeu o mesmo arrombado. Um pé-de-cabra deve ter sido usado para o crime. Do local desapareceu um televisor de 32 polegadas.

Seguranca

Empresa é arrombada no Centro de Brusque

6 dias atrás

Um estabelecimento comercial localizado na Rua Pedro Werner, no Centro de Brusque, recebeu a visita de ladrões esta semana. O fato aconteceu entre os dias 7 e 8 de janeiro, sábado e domingo últimos. O proprietário percebeu a ação apenas na segunda-feira, quando abriu o estabelecimento. Para ter acesso ao interior do estabelecimento foi arrombada uma porta de madeira. O cadeado e a fechadura foram arrebentados. Outra porta, de aceso ao escritório, foi arrombada também. Não há câmeras no local, mas um estabelecimento vizinho possui o sistema de monitoramento e pode ter registrado alguma pista ou ação de quem esteve no local. O proprietário acredita que o prejuízo com o furto pode chegar a R$ 7 mil.

Seguranca

DEAP de Santa Catarina registra melhor índice de retorno de presos da saída temporária desde 2011

6 dias atrás

O Departamento de Administração Prisional (DEAP) de Santa Catarina registrou o melhor índice, desde 2011, de retorno às unidades prisionais dos apenados que tiveram o benefício da saída temporária no fim do ano de 2016. Dos 1.835 presos que saíram 65 não retornaram o que corresponde a uma taxa de evasão de 3,5%. Dos foragidos 11 já foram recapturados até as 18h20min desta segunda-feira. Para o diretor do DEAP, Deiveison Batista, o bom índice está relacionado aos avanços comportamentais conquistados em razão da oferta de atividades laborais dentro das unidades prisionais do estado. “Quando o apenado tem a oportunidade de um trabalho e está sendo ressocializado, fica muito mais difícil voltar ao mundo da criminalidade”, avalia. O benefício da saída temporária está previsto na Lei de Execuções Penais (LEP) e é concedido pela Justiça aos presos que estão no regime semiaberto e já cumpriram uma fração da pena – pode variar de um sexto a dois quintos, dependendo do crime – o outro critério está associado ao bom comportamento. Em 2016, a saída temporária ocorreu entre os dias 19 e 31 de dezembro. Sendo que os retornos estavam previstos entre os dias 26 de dezembro e 08 de janeiro de 2017. Ainda de acordo com o diretor do DEAP, o perfil dos apenados que não retornaram aos presídios, normalmente é o de detentos que já têm a intenção de praticar novos delitos, tanto que, segundo ele, muitos são recapturados cometendo outros crimes. Deiveison explica que os que não retornaram são considerados foragidos e que o índice de recaptura também é alto.

Seguranca
Subir